Policial

Polícia prende envolvidos com tráfico, homicídios e comércio ilegal

A equipe da PC foi recebida a tiros e um policial foi ferido de raspão. Entre as pessoas detidas está uma mulher que é esposa do líder do grupo.




A operação da Polícia Civil, Hidra de Lerna, resultou na prisão de oito pessoas suspeitas de envolvimento com tráfico de drogas, homicídios e comércio ilegal de armas de fogo em Campina Grande. As informações estão de acordo com a delegada titular da Delegacia de Homicídios da cidade, Maíra Roberta, que comandou a ação realizada na manhã dessa terça-feira (24) nos bairros do Dinamérica, Serrotão, Santa Rosa, Cidades e Catingueira. 

No bairro do Dinamérica, a equipe da PC foi recebida a tiros e um policial foi ferido de raspão. A operação iniciou às 4h30 de hoje e entre as pessoas detidas está a esposa do líder do grupo, que foi identificado como Adriano Pereira da Silva. Ele está preso no presídio do Serrotão por um homicídio praticado em 2009 e, segundo a Polícia Civil, comandava as ações da quadrilha de  dentro da unidade prisional. 
 
Conforme a delegada Maíra Roberta, as investigações sobre essa quadrilha tiveram início em novembro do ano passado, quando percebeu-se que essa associação criminosa se regenerava muito rápido à medida que os integrantes eram presos.  “Acabamos por perceber que o grupo era comandado por Adriano no presídio, que mandava nos outros que estavam aqui fora. No decorrer das investigações vimos que ao prender algum deles a quadrilha se regenerava”, explicou. 
 
A forma como a quadrilha reagia as prisões foi o que originou o nome da operação, uma vez que segundo a delegada Maíra Roberta ao ‘cortar’ a cabeça de um dos integrantes, ou seja, ao prender um deles, outras pessoas começavam a fazer parte da associação criminosa. O nome Hidra de Lerna foi dado em alusão a um monstro da mitologia grega com corpo de dragão e três cabeças de serpentes, que ao serem cortadas se regeneravam. 
 
Ao todo foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e houve duas prisões em flagrante. As pessoas presas estão na Central de Polícia Civil, no bairro Catolé, e depois serão encaminhadas para o presídio, ainda segundo a delegada. Além das prisões houve também a apreensão de armas de fogo e munições. 
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.