Policial

Polícia mostra números de furtos e roubos na capital

Delegacia mostra dados de roubos e furtos de veículos em João Pessoa.




A Delegacia de Roubos e Furtos divulgou nesta quarta-feira (26) um relatório que aponta que mais de 100 carros foram furtados, levados sem violência, e quase 200 foram roubados em João Pessoa, durante o ano de 2011.

O relatório mostra que no último ano foram 101 carros furtados, e o modelo preferido pelos assaltantes é o carro popular, com duas portas e de motor 1.0. O ano de fabricação do veículo que teve mais registros de furtos foi o de 1994. As cores preferidas são, principalmente, a branca, com 22 furtos, e a azul, com 16. Os homens foram vítimas 87 vezes, e as mulheres, apenas 14.

Já sobre as informações das motos furtadas, foram 73 casos de furtos registrados. Com 18 casos, as motos de 150 cilindradas foram a de modelo mais visado. Segundo o relatório, as motos fabricadas em 2010 foram as que mais sofreram.

Diferentemente dos carros, a cor preta, com 29 casos, e a vermelha, com 24, são as que tiveram mais registros. Os homens também foram maioria nesse caso, sendo vítimas do crime em 61 vezes, enquanto as mulheres foram furtadas em 12 vezes.

Os motoristas sofrem esses crimes, na maioria, na terça-feira, entre 9h e 11h, no bairro do Centro. Novamente o bairro do Centro foi o mais notificado sobre os furtos de motos, sendo a segunda-feira o dia com mais casos, na maioria das vezes, às 12h.

O relatório da Delegacia de Roubos e Furtos mostrou ainda que 166 carros foram roubados, também no ano de 2011, sendo em 23 casos um veículo Sedan de luxo, de motor 2.0. A caminhonete pequena, com 17 registros, também foi um dos veículos mais roubados. Os carros de cor prata, com 58 roubos, e preta, com 48, foram os mais visados, de acordo com as estatísticas do levantamento.

O Bairro dos Estados foi o local onde mais casos foram denunciados à polícia, tendo em sua maioria os homens, e acontecendo na quarta-feira ou sexta-feira.

Leonardo Souto Maior, delegado de Roubos e Furtos, disse que “tem que ser levado em consideração que a cidade possui mais homens dirigindo do que mulher. Não é uma escolha, é uma questão de proporcionalidade”, quando perguntado sobre o alto número de homens que foram vítimas nesse tipo de crime.

“Com a catalogação desses dados e percebendo padrões, conseguimos prender uma quadrilha que roubava em torno de 16 carros por mês, e foi responsável pelo roubo de, aproximadamente, 160 veículos. Aos poucos, quando se vai descobrindo a dinâmica do crime, percebe-se que que os veículos que são subtraídos aqui na Paraíba, são encontrados em outros estados, muitas vezes na região do Norte, sendo trocados por drogas ou armas, e retornando em forma de dinheiro para outros estados”, afirmou o delegado.

Leonardo Souto Maior comentou ainda sobre as 183 motos roubadas em 2011, sendo em sua maioria, o modelo de 150 cilindradas de 2010. Novamente, assim como os dados das motos furtadas, as de cor preta e vermelha foram as mais visadas. O bairro do Geisel foi o local onde mais aconteceu os roubos.
Segundo o delegado, “a escolha de modelo, cor e ano de fabricação é baseado no comércio, pois existe uma encomenda desses roubos”.

“É importante nunca reagir. Os momentos de embarque e desembarque é quando o motorista está mais fragilizado, então antes de sair de casa, a pessoa deve perceber se existem pessoas estranhas. E esse critério de pessoas suspeitas não é a roupa, e sim a aproximação, sempre desconfiando”, finalizou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.