Policial

PF investiga fraude de mais de R$ 36 milhões na saúde da PB

Além da Paraíba, suposta quadrilha fraudava licitações no Rio Grande do Norte desde 2005, onde já foi preso o filho da governadora.




PF investiga fraude de mais de R$ 36 milhões na saúde da PB

Do G1

A Polícia Federal realiza nesta sexta-feira (13) a Operação Hígia para desmantelar uma suposta quadrilha que realizava fraudes em licitações da área de saúde da Paraíba e Rio Grande do Norte . O valor dos contratos fraudados desde 2005 pode ser superior a R$ 36 milhões.

Segundo a PF, 190 agentes cumprem 13 mandados de prisão e 42 de busca e apreensão. Um mandado de prisão e dois de apreensão serão cumpridos na Paraíba e os demais no Rio Grande do Norte.

Entre os presos está o assessor parlamentar Lauro Maia, filho da governadora do Rio Grande do Norte, Wilma de Faria (PSB).

Maia trabalha no gabinete do deputado estadual Lavoisier Maia (PSB), que é seu pai. O G1 entrou em contato com o gabinete, mas uma secretária informou que não havia ninguém para falar sobre o caso.

De acordo com a polícia, a suposta quadrilha atuava para celebração de contratos ilícitos na área de saúde. Teria ocorrido corrupção de agentes públicos e tráfico de influência para contratações emergenciais. Dessa forma, os integrantes do suposto esquema desviavam verbas públicas. A PF afirma em nota que constatou tráfico de influência por agentes políticos do Rio Grande do Norte.

A PF informou que os presos poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica, peculato, corrupção, prevaricação, tráfico de influência, fraude à licitação, dispensa indevida de licitação, patrocínio de interesse privado e prorrogação contratual indevida. As penas isoladamente variam de 3 meses a 12 anos de prisão e podem chegar ao máximo de 65 anos.

A operação tem esse nome – Hígia – porque, na mitologia grega, ela era a deusa da saúde e da limpeza.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.