Policial

Mapeamento revela os três pontos mais perigosos da orla da Capital

Estudo foi feito pela Companhia de Apoio ao Turista em parceria com a Delegacia de Repressão a Entorpecentes. Maioria dos crimes é motivado pelo consumo de drogas.




Karoline Zilah

As áreas onde há maior risco de assaltos na orla de João Pessoa foram mapeadas pela Companhia de Polícia de Apoio ao Turista (Ceatur), em parceria com a Delegacia de Repressão a Entorpecentes. De acordo com o capitão Edher Santos, do comando da Ciclopatrulha, os locais que registram mais crimes são: o trecho final da praia de Cabo Branco, próximo à barreira de acesso ao Altiplano, o fim da avenida Beira Rio e o Largo da Gameleira.

Conforme o estudo feito pela Ceatur e pela Polícia Civil, a maior parte dos crimes é motivada pelo consumo de drogas, ou seja, os envolvidos têm interesse em furtar objetos de valor para trocar por entorpecentes e sustentar o vício.

O trecho final da avenida Cabo Branco, conforme o capitão Edher Santos, é alvo dos assaltantes por ser um local escuro e pouco movimentado. As vítimas geralmente são pessoas que estacionam carros, desembarcam e passeiam na praia.

Já no fim da avenida Beira Rio e no Largo da Gameleira, em Tambaú, os assaltantes aproveitam o movimento intenso, inclusive de turistas, para roubar objetos de valor. A dica da Polícia Militar é de que os pedestrem não ostentem joias ou aparelhos eletrônicos. Caso o assalto aconteça, a polícia recomenda que a vítima não reaja.

A Ceatur funciona desde fevereiro fazendo rondas em toda a orla de João Pessoa, com base em Tambaú. A companhia investe na ciclopatrulha para evitar pequenos furtos relacionados ao tráfico de drogas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.