Policial

Duas pessoas são mortas a tiros na Grande JP

Um pedido de socorro através de um aparelho celular no meio da noite foi a alternativa encontrada por Luiz Alberto Ferreira de Menezes, de 22 anos, para tentar salvar sua vida. Segundo informações da Delegacia de Homicídios de João Pessoa, o rapaz faleceu após ser atingido por um único tiro nas costas, no condomínio da […]




Um pedido de socorro através de um aparelho celular no meio da noite foi a alternativa encontrada por Luiz Alberto Ferreira de Menezes, de 22 anos, para tentar salvar sua vida. Segundo informações da Delegacia de Homicídios de João Pessoa, o rapaz faleceu após ser atingido por um único tiro nas costas, no condomínio da Paz, no bairro Jardim Veneza, na capital, durante a noite da última quinta-feira.

Conforme a Polícia Civil, o rapaz passava de bicicleta pelo condomínio e ainda conseguiu correr e se esconder em um terreno baldio. Utilizando o celular, ele ligou para a irmã revelando que estava ferido e precisava de atendimento médico. A irmã então acionou a Polícia Militar através do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), mas, chegando ao local indicado na denúncia, na comunidade Beira Molhada, a polícia encontrou Luiz Alberto já sem vida.

A Polícia Civil suspeita que o crime esteja relacionado a disputas do tráfico de drogas, tendo em vista que o rapaz já havia sofrido uma tentativa de homicídio há uma semana, no bairro dos Novais. Ainda segundo a polícia, a vítima já havia cumprido medida socioeducativa no Centro Educacional do Adolescente (CEA), por crimes praticados na adolescência.

No local do homicídio, os moradores revelaram à polícia não terem visto como o fato aconteceu e, por enquanto, nenhum suspeito foi identificado. Para auxiliar nas investigações, a irmã da vítima prestou depoimento na manhã de ontem, na Delegacia de Homicídios.

Ainda durante a noite da última quinta-feira, um outro crime de homicídio ocorreu na cidade de Cabedelo. Segundo o Ciop, Wenderson de Freitas da Silva, de 18 anos, foi assassinado com oito disparos de arma de fogo, por volta das 20h, no bairro Camalaú. Quatro disparos atingiram a região frontal da cabeça da vítima e outros quatro tiros atingiram as costas.

O pai do garoto revelou a Polícia Militar que o filho era usuário de drogas e não atendeu aos vários pedidos para que deixasse o vício. Os familiares revelaram que o garoto havia retornado há três meses do Estado do Rio de Janeiro, onde teria sido submetido a um tratamento de desintoxicação, mas, ao retornar à Paraíba, teria decidido morar na rua. Segundo o Ciop, no local do crime não foi repassada nenhuma informação referente à autoria do assassinato. A polícia investiga se o crime ocorreu em virtude de dívidas de drogas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.