Policial

Detento diz que matou colega em Jacarapé por conta de assédio sexual

Transferido do presídio Silvio Porto há cerca de 20 dias, Flávio Nunes Fidelis assumiu ter assassinado Josué Luiza da Silva porque teria sofrido assédio sexual.




Karoline Zilah

Transferido do presídio Silvio Porto há cerca de 20 dias por ter assassinado um colega de cela, o detento Flávio Nunes Fidelis, de 39 anos, conhecido como “Geladeira”, confessou ter executado mais um presidiário, desta vez na penitenciária de segurança máxima PB-I, em Jacarapé.

O crime aconteceu na madrugada desta sexta-feira (9) em uma cela de isolamento. Ao abrirem o portão de uma das celas de isolamento às 6h, os agentes encontraram o corpo de Josué Luiz da Silva, de 30 anos, conhecido como “Boca Nua”.

De acordo com o tenente Clenival Ferreira, diretor da penitenciária, “Geladeira” teria confessado o crime, informando que matou o colega porque sofreu assédio sexual durante a noite. Ele teria acordado sendo apalpado por Josué. Revoltado, ele o sufocou e ainda o agrediu, pisoteando o corpo.

“Geladeira” cumpre pena por homicídio, roubo e tráfico. A delegada da 9ª Delegacia Distrital de Mangabeira compareceu ao PB-I para autuá-lo em flagrante por mais um assassinato.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.