Policial

Bandidos usam bombas para explodir caixas e roubar bancos

Duas agências bancárias tiveram caixas eletrônicos explodidos. Uma agência arrombada é de Montadas e a outra de Serra Redonda. Polícia não tem pistas dos ladrões.




Da Redação
Com TV Cabo Branco

Assaltantes inventaram uma nova forma de roubar o dinheiro de caixas eletrônicos nesta quinta-feira (20) nas cidades de Montadas e Serra Redonda, onde duas agências bancárias tiveram caixas explodidos por ladrões que usaram bombas para destruir os equipamentos e roubar o dinheiro deles. À Polícia, com pouco efetivo nos locais, coube apenas tentar localizar, sem sucesso, os ladrões.

Moradores de Montadas reclamam da falta de segurança na cidade e disseram que assaltos ao comércio local é constante. José Alécio, operário, disse que diariamente acontecem roubos. "Aqui tem 20 mercados, todos eles já foram assaltados".

As duas agências arrombadas e explodidas são do Bradesco e a Polícia acredita que os dois crimes foram cometidos pela mesma quadrilha, formada por oito homens armados e divididos em dois carros.

O grupo teria arrombado o posto avançado do banco de Montadas e instalado uma bomba no caixa eletrônico, que ficou completamente destruído. Antes que a polícia fosse avisada, a quadrilha partiu para Serra Redonda, onde fizeram a mesma coisa no banco de lá.

No entanto, a esta altura a Polícia Militar no local do primeiro assalto já havia sido avisada e, pedindo reforço ao Batalhão da PM de Campina Grande, saído em busca dos assaltantes. Com medo, os ladrões acabaram explodindo mas deixando todo o dinheiro do segundo caixa eletrônico.

O capitão Hilmarton, do 10º Batalhão da Polícia Militar, disse que os ladrões promovem este tipo de ação em cidades que ele têm pouco efetivo policial e várias vias de fuga rápida. "O efetivo não é o ideal, mas é o que a instituição dispõe para oferecer para esta região", explicou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.