Notícias

Médico explica principais sintomas da ‘Síndrome do Coração Partido’

Principais sintomas são dores no tórax, falta de ar ou colapso semelhante a um ataque cardíaco.




Médico cardiologista fala sobre ‘Síndrome do Coração Partido’ e explica principais sintomas (Foto: Rizemberg Felipe/Reprodução)

Comemorado neste sábado (12), o Dia dos Namorados é uma data celebrada por alguns e causadora de tristeza para outros, que de repente, lembram de um amor não correspondido ou de algum relacionamento que não deu mais certo. Mas, se o símbolo contrário ao amor é um coração partido, saiba que na medicina essa expressão é mais do que apenas uma simbologia.

Quem passa por essa situação é vítima da Síndrome do Coração Partido. “Também conhecida como doença ou Síndrome de Takotsubo, tal condição difere de um ataque cardíaco porque nela os pacientes em sua maioria se recuperam plenamente e, em geral, não sofrem danos duradouros no músculo cardíaco”, esclarece Valério Vasconcelos.

Os sentimentos de ausência e tristeza prolongada após a perda da pessoa amada, além do estresse emocional em longo prazo, podem ter efeitos catastróficos no coração, alerta o médico especialista.

 

Síndrome vai além das decepções amorosas

 

Os principais sintomas desta doença são dores no tórax, falta de ar ou colapso semelhante a um ataque cardíaco. Em alguns casos, segundo o médico, a pessoa pode sofrer palpitações, náuseas e vômitos.

“Os sintomas são semelhantes aos de um infarto, sendo que, quando realizado o cateterismo, não há entupimento nas artérias do coração, mas ocorre deformação do ventrículo esquerdo, que fica praticamente paralisado e não consegue bombear sangue”, explica.

Metáfora muito utilizada para ilustrar a sensação de uma decepção amorosa real, a Síndrome do Coração Partido representa um quadro clínico que não se restringe aos relacionamentos afetivos.

“Perder alguém depois de anos de doença e de internação hospitalar, perdas financeiras vultosas, situações vivenciadas de extrema angústia, perda de parentes ou amigos queridos em acidentes, ser assaltado à mão armada, discussões acaloradas e até mesmo o choque de uma festa surpresa são também possíveis desencadeadores para a Síndrome do Coração Partido”, afirma o médico.

 

Entenda

 

A Síndrome do Coração Partido é um tema relevante para a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), que iniciou um estudo inédito sobre o assunto desde o ano passado. Serão avaliados pacientes que tiveram a doença antes e após a pandemia da Covid-19. Definida também como cardiomiopatia por estresse, a doença tem perfil desconhecido no Brasil e foi descrita pela primeira vez no Japão em 1990.

“A Síndrome do Coração Partido foi associada a altas taxas de morbimortalidade em hospital terciário no Brasil, comparáveis às observadas na síndrome coronariana aguda. A gravidade da doença não deve ser subestimada e novas estratégias terapêuticas são necessárias”, falou o médico Valério Vasconcelos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.