Notícias

Ocupação de leitos de UTI na macrorregião de Campina Grande está sobrecarregada, diz secretário

Uma das duas UPAs da cidade passou a atender apenas pacientes com Covid-19.




Ocupação de leitos de UTI na macrorregião Campina Grande está sobrecarregada, diz secretário / Foto: Francisco França/Secom-PB

A segunda macrorregião de saúde, centralizada em Campina Grande, apresenta uma sobrecarga na ocupação de leitos de UTI para tratamento da Covid-19. A declaração foi feita pelo secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros, nesta sexta-feira (14).

“A segunda macrorregião está com sobrecarga, com uma demanda elevada […] é a macrorregião que mais preocupa”, reforçou o secretário.

Com o também aumento no número de novos casos da doença diagnosticados e atendidos na cidade, os hospitais também passaram a alertar sobre a indisponibilidade dos leitos.

Veja as taxas de ocupação de cada unidade:

  • Hospital de Emergência e Trauma – 120% de ocupação de leitos de UTI
  • Hospital de Clínicas – 100% de ocupação de leitos de UTI
  • Hospital Pedro I – 50% de ocupação de leitos de UTI
  • Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) – 80% de ocupação de leitos de UTI

Uma das medidas para diminuir a lotação nos hospitais do município, é o atendimento feito apenas para pacientes com Covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Atualmente, quem define onde os pacientes serão internados é da central estadual de regulação.

Segundo o secretário de saúde, a tendência é que as pessoas que precisarem de atendimento em unidades de terapia intensa, sejam hospitalizadas do Pedro I.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.