Notícias

Auxílio emergencial é liberado para trabalhadores nascidos em fevereiro

Primeira parcela do auxílio emergencial 2021 é pago para trabalhadores nascidos em fevereiro




Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

Os trabalhadores informais nascidos em fevereiro podem sacar a partir desta segunda-feira (3) a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal dos trabalhadores em 9 de abril e, para sacar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

 

O acesso ao dinheiro do auxílio pode ser feito por meio do aplicativo Caixa Tem, que oferece opções para pagamento de contas domésticas, de boletos, compras em lojas virtuais ou com QR code em máquinas de estabelecimentos parceiros. Os recursos também podem ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário.

 

Os trabalhadores com dúvidas podem entrar em contato com a central telefônica da Caixa por meio do número 111. O serviço funciona de segunda-feira à domingo, das 7h às 22h. As dúvidas podem ser sanadas também pelo site do auxílio emergencial.

 

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

 

Este ano, o auxílio vai pagar quatro parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil. As famílias em geral vão receber R$ 250. Famílias monoparentais, chefiadas por mulheres, recebem R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

 

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.