Notícias

Alta no preço da energia elétrica: família dá dicas para reduzir consumo e pagar menos

Conta de energia não chega a R$ 80, no apartamento onde moram 4 pessoas em João Pessoa.




TV Cabo Branco/Reprodução

Pensar novas formas de economizar energia elétrica também é uma maneira de contribuir com a preservação do meio ambiente. Afinal de contas, a maior parte da energia elétrica vem de usinas hidrelétricas, movidas pela força da água. Com o novo aumento no preço da energia, é necessário reduzir os gastos e a maneira mais adequada para isso é economizar energia. Este foi o tema do Paraíba Comunidade deste domingo (18).
Cinco estados brasileiros estão enfrentando a pior seca dos últimos 91 anos, e a crise hídrica trouxe outro problema para o país: o aumento na conta de luz. Isso ocorre porque, se há menos água nos reservatórios, consequentemente há menos produção de energia nas usinas hidrelétricas. Por causa disso, é necessário recorrer às termoelétricas, que geram energia a partir o calor gerado pela queima de combustíveis fósseis, como carvão mineral, óleo e gás. Por essa razão a conta de luz subiu em todo o país.
Dara Elizário, estudante do curso de energias renováveis da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), organiza os equipamentos em casa de acordo com o funcionamento. Se não estiverem utilizando, permanecem desligados e com as tomadas desconectadas. Também não há uso de ar-condicionado. Resultado disso é que a conta de energia não chega a R$ 80, no apartamento onde moram 4 pessoas.

TV Cabo Branco/Reprodução

“Eu já sei como é que lava roupa, boto 1 vez por semana. Só uso ferro (de passar) quando vou sair de casa. A geladeira só abro e pego tudo que preciso para cozinhar e deixo na pia. A cafeteira eu faço o café e boto na garrafa para não gastar energia”, disse Cleide Elizário, dona de casa e mãe de Dara.
Economizar sempre esteve em pauta na família. A própria escolha do apartamento se deu pela livre e ampla entrada de luz natural, que permite uma iluminação maior sem o uso da energia elétrica. A pintura das paredes também foi pensada nessa perspectiva. “O branco tem essa questão de refletir mais a luz. A gente não utiliza cortina”, disse Dara.  As janelas grandes também servem para ventilação natural. As lâmpadas são de LED, que consomem menos energia. O micro-ondas só é ligado na tomada durante o uso.
“Com pequenos hábitos no cotidiano a gente consegue fazendo esse efeito cascata da economia”, conclui a estudante.

TV Cabo Branco/Reprodução


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.