Mundo

Vítimas de atirador são sepultadas

Quatro vítimas do massacre na escola judaica de Toulouse foram sepultados, nesta quarta-feira (21) em Jerusalém.




As quatro vítimas do atentado terrorista na França foram sepultadas ontem em Jerusalém em clima de perplexidade e preocupação com a vulnerabilidade das comunidades judaicas na Europa.

Centenas de pessoas foram ao cemitério de Har Menuchot (Monte do Descanso), entre eles muitos franceses, os que vivem em Israel e os que vieram especialmente.

O massacre que deixou três crianças mortas na escola judaica de Toulouse causou choque, mas não foi uma total surpresa para eles.

A atmosfera de hostilidade virou coisa do dia a dia para muitos judeus franceses.

"Era normal que grupos de muçulmanos nos esperassem na estação de trem", diz Jonathan Bibas, 23, que há seis anos saiu de Marselha (sul da França) e se mudou para Israel.

Após emotiva cerimônia, foram enterrados os corpos do rabino Jonathan Sandler, 30, professor da escola, os filhos Ariel, 6, e Gabriel, 3, e Miriam Monsonego, 8, filha do diretor. O professor era cidadão francês, e as três crianças tinham dupla cidadania franco israelense.

O que mais chocou os judeus franceses foi a crueldade do crime. Segundo testemunhas, depois de ser perseguida pelo terrorista, Miriam foi agarrada pelos cabelos e levou um tiro na cabeça. Em seguida, mais um.

Presente no enterro, o ministro das Relações Exteriores da França prometeu segurança reforçada em escolas e sinagogas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.