Mundo

Líbia: CNT discute novo governo

Mustafá Abdel Jalil disse que o conselho discutirá na próxima semana quem vai liderar o novo governo, substituindo Mahmoud Jibril, que renunciou no final de semana.




As discussões para a formação do próximo governo interino da Líbia já estão em andamento e uma decisão é esperada em cerca de duas semanas, disse ontem o chefe do Conselho Nacional de Transição (CNT). Mustafá Abdel Jalil disse que o conselho discutirá na próxima semana quem vai liderar o novo governo, substituindo Mahmoud Jibril, que renunciou no final de semana. "Começamos as discussões (sobre a formação de um governo) e esta questão não levará um mês. Terá terminado em duas semanas", previu.

No último domingo, Abdel Jalil afirmou que a Líbia havia adotado a sharia (lei islâmica) como fonte de sua legislação e tentou amenizar os temores de que o país possa se voltar para o extremismo religioso. "Quero certificar a comunidade internacional de que nós, líbios, somos muçulmanos moderados", reforçou.

Em resposta aos apelos internacionais, o CNT anunciou também ontem, conforme informações da Agência Brasil, que será criada uma comissão especial de inquérito para investigar as circunstâncias da morte de Muammar Khadafi, ex-presidente líbio, no último dia 20. Em 15 dias, a comissão deverá apresentar uma conclusão. Há suspeitas de que Khadafi foi capturado vivo e depois assassinado. No corpo dele, há tiros na cabeça e no abdomên.

MASSACRE
Foram encontrados 53 corpos de vítimas de um massacre em um hotel abandonado em Sirte, cidade natal de Khadafi, de onde ele tentava fugir quando foi morto.

O anúncio foi feito pela organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch. A ONG estima que os corpos sejam de homens leais ao ex-ditador. Alguns tinham as mãos amarradas e, pelo estado dos corpos, supõe-se que o massacre tenha ocorrido há uma semana.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.