Mundo

Bombardeios matam 40 pessoas na Síria

Comitês de Coordenação Local (CCL) informaram em comunicado que as ações causaram mortes em Idlib e em Homs.




Pelo menos 40 pessoas morreram ontem na Síria em decorrência dos bombardeios e disparos das forças leais ao regime de Bashar Al Assad, segundo um grupo opositor.

Os Comitês de Coordenação Local (CCL) informaram em comunicado que as ações causaram mortes em Idlib e em Homs, no mesmo dia em que Damasco negou as acusações das Nações Unidas de cometer "crimes contra a humanidade".

De acordo com a entidade, o Exército sírio bombardeou de modo indiscriminado a cidade de Idlib com tanques e mísseis, e foram ouvidas rajadas de disparos e explosões que afetaram vários imóveis.

Mais cedo, o Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede em Londres, informou que 23 pessoas, sendo 17 civis, morreram em Homs ontem em bombardeios e outras ações do regime.

Nos últimos dias, foram intensificados os movimentos diplomáticos para pressionar o governo de Damasco, que acusou a Organização das Nações Unidas (ONU) de falta de neutralidade e objetividade.

NOVAS SANÇÕES
A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu ontem a possibilidade de a União Europeia (UE) adotar novas sanções à Síria. Ela deverá se reunir com o secretário-geral da Liga Árabe, general Nabil El Arabi, em Berlim – capital alemã. A UE apoia a "posição firme" da Liga Árabe sobre a Síria e "vai consolidá-la com outras sanções".


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.