Esportes

Tentando evitar a queda, Belo visita o Sampaio em São Luís e seca o Moto

O Botafogo-PB sacramenta neste sábado a sua trajetória na temporada 2017 e os rumos para 2018.




Chegou a hora da decisão. O Botafogo-PB sacramenta neste sábado a sua trajetória na temporada 2017 e os rumos para 2018. Vai permanecer na Série C ou vai ser rebaixado para a Série D? Pela última rodada da primeira fase da terceira divisão nacional, o Belo visita o Sampaio Corrêa no Estádio Castelão, em São Luís, no Maranhão. Na zona do rebaixamento, em nono lugar, com 18 pontos, o Alvinegro precisa da vitória e de tropeço (empate ou derrota) do Moto Club contra o Fortaleza ou de derrota do Salgueiro para o Remo (nesse segundo caso, ainda precisa tirar uma diferença de seis gols de saldo). Só assim para escapar da degola. Todos os duelos decisivos do Grupo A começam às 19h30.

 

A campanha do Botafogo nesta edição da Série C mudou da água para o vinho a partir da reta final do primeiro turno e início do segundo. Em 17 jogos disputados, foram cinco vitórias, três empates e nove derrotas. Inclusive, ninguém perdeu mais que o Belo no Grupo A. Em situação complicada, o Alvinegro paraibano não depende mais só de si para evitar o rebaixamento. Para ficar na terceira divisão no ano que vem, o clube precisa vencer o Sampaio Corrêa e ainda torcer por um tropeço do Moto Club, que enfrenta o Fortaleza na capital cearense.

 

Existe uma outra possibilidade, mas é remota. Se o Belo vencer o Sampaio e o Salgueiro perder para o Remo, no interior de Pernambuco, o time paraibano também escapa, mas apenas se tirar uma diferença que, no momento, é de seis gols de saldo. Ou seja, essa combinação é improvável.

 

A fase conturbada na Maravilha deixou abatido até mesmo quem marcou época com a camisa botafoguense. Warley admitiu que o elenco tem sentido o momento, mas afirmou que só a união pode ajudar a salvar o time daquele que seria o primeiro rebaixamento na história do Botafogo.

 

– Neste momento, é claro que a equipe fica um pouco abalada. Mas só nós mesmos para nos ajudarmos. É um pegando no braço do outro. Todo mundo se ajudando. A gente sabe que a situação é difícil e é até ruim falar. Mas o nosso pensamento é deixar o Botafogo onde nós pegamos, que é na Série C – afirmou o jogador.

 

Para o jogo mais importante do Botafogo na temporada, o técnico Ramiro Souza não vai contar com o zagueiro André Santos, o lateral-esquerdo Alyson e o volante Magno, todos suspensos. Os laterais Bruno Costa e Fernandes seguem machucados e sequer viajaram com o restante do elenco. Além disso, o volante Val alegou problemas pessoais e deixou o clube.

 

Na rodada passada, no empate contra o ASA, Ramiro Souza escalou um Botafogo mais prevenido, com três volantes – Djavan, Sapé e Patrick Mota – e apenas Marcinho como armador. Contudo, no decorrer do jogo, sacou um dos volantes para a entrada de Cleyton. A mudança foi elogiada pelo treinador, que, no entanto, não cravou com qual equipe entrará no duelo com o Sampaio Corrêa.

 

Barrados diante do ASA, o goleiro Michel Alves e o meia Roger Gaúcho treinaram normalmente durante a semana e devem voltar a ser relacionados. Porém, a dupla deve ficar como opção no banco. Para a vaga de Alyson na lateral, quem deve entrar é Carlos Renato, enquanto Patrick Mota e Sapé ocupam as vagas ao lado de Djavan como volantes.

 

Com desfalques da defesa ao meio de campo, o Botafogo deve entrar na partida decisiva com Edson, Lito, Plínio, Bruno Maia e Carlos Renato; Djavan, Sapé, Patrick Mota e Marcinho; Dico e Rafael Oliveira.

 

A arbitragem para o confronto no Estádio Almeidão vem do Mato Grosso do Sul. Paulo Henrique Schleich Vollkopf apita e Leandro dos Santos Ruberdo e Cicero Alessandro de Souza serão os auxiliares.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.