Esportes

Santos derrota Botafogo em dia de festa para time carioca

Alvinegro vê o sonho da Libertadores ficar mais longe no dia em que Mané Garrincha, agora com busto no estádio Engenhão, completaria 75 anos.




Do G1

O Santos estragou a festa do Botafogo no dia em que a diretoria carioca homenageou Mané Garrincha, que ganhou um busto e um totem, no hall dos elevadores do Engenhão, neste sábado, dia em que o eterno craque completaria 75 anos. Em campo, o Peixe venceu o rival carioca por 1 a 0 e se distanciou ainda mais da zona de rebaixamento do Brasileirão, enquanto o Glorioso viu o sonho de conquistar uma vaga na Libertadores de 2009 ficar ainda mais difícil.

Ironicamente, no dia em que a festa envolvia a mística da camisa 7 alvinegra, foi o colombiano Molina, que usa a camisa 10 santista eternizada por Pelé, quem brilhou. Além disso, ajudou a equipe a quebrar um longo jejum sem vitórias fora de casa. A última havia sido no dia 30 de julho, quando o Peixe derrotou o Internacional no Beira-Rio também por 1 a 0. No Engenhão, foi apenas o segundo resultdo positivo fora de casa do time em todo o campeonato.

Com o resultado, o Peixe chegou aos 36 pontos e ocupa a 13ª colocação. O Botafogo permaneceu com 46 pontos e na sexta colocação, mas agora com a companhia do Internacional, que derrotou o Atlético-PR por 2 a 1 – o Colorado, no entanto, perde no saldo de gols: tem quatro contra dez do time carioca. Na próxima rodada, o Glorioso pega o Ipatinga, no interior de Minas Gerais. Já o Peixe vai encarar o Figueirense, na Vila Belmiro. As duas partidas acontecem no próximo sábado.

Goleiros se destacam com grandes defesas

A partida começou movimentada e bem disputada, com as duas equipes buscando dominar as ações no meio-campo para chegar ao gol. Aproveitando o apoio da torcida, o Botafogo foi quem assustou primeiro. Aos três minutos, Lucio Flavio cobrou falta e a bola passou por Wellington Paulista e Túlio que, livres de marcação, não conseguiram completar para o gol de Fábio Costa.

O confronto seguiu movimentado, e o Santos assustava apenas nos contra-ataques. Em uma dessas saídas rápidas da defesa, o Peixe quase abriu o marcador aos 14 minutos. Rodrigo Souto lançou Lima dentro da área. O atacante driblou o goleiro Renan, mas chutou muito forte e a bola passou por cima do gol alvinegro.

Dois minutos depois, o Botafogo perdeu a chance mais clara do jogo. Carlos Alberto fez ótima jogada e cruzou para encontrar Wellington Paulista completamente livre na marca do pênalti. O atacante chutou de primeira e o goleiro Fábio Costa fez uma bela defesa, salvando o Peixe. Um minuto depois, Bida arriscou de fora da área e Renan espalmou para escanteio.

Molina dá a vitória ao Peixe com um belo chute

Botafogo e Santos voltaram para o segundo tempo com o mesmo objetivo da etapa inicial. Enquanto os cariocas tinham a iniciativa do jogo para chegar ao gol, os paulistas buscavam os contra-ataques para surpreender o rival. Aos dez, Zárate foi quem teve a primeira chance. Em cobrança de escanteio de Carlos Alberto, o zagueiro subiu mais do que a zaga do Peixe e cabeceou rente à trave de Fábio Costa.

O Santos respondeu logo em seguida, aos 14. Kleber encontrou Róbson livre na marca do pênalti. O atacante chutou forte, e o goleiro Renan defendeu firme no meio do gol. Um minuto depois, Jorge Henrique passou por dois adversários e chutou. No meio do caminho, Zárate deu um toque de bico para a defesa tranqüila de Fábio Costa.

A partida ficou feia, muita disputada no meio-campo e com muitos erros de passes. Até que aos 26, Molina fez um golaço. Em cobrança de falta pelo lado direito da área do Botafogo, o colombiano surpreendeu o goleiro Renan e bateu direto, abrindo o marcador para os paulistas. Só aí o time carioca acordou e partiu em busca do empate.

Mesmo assim, quem quase marcou foi o Santos. Em um contra-ataque rápido, Róbson encontrou Lima sozinho de frente para Renan. O atacante tentou tocar por cobertura, mas o goleiro defendeu. No rebote, a bola sobrou para Molina que arriscou de fora da área para outra bela defesa do jovem goleiro.

Disposto a conseguir o empate, Ney Franco sacou Carlos Alberto, que deixou o campo vaiado, para a entrada de Marcelinho. Porém, mais uma vez quem assustou foi o Santos. Molina arriscou de fora da área, a bola desviou na zaga e sobrou para Lima. A atacante tentou encobrir o goleiro Renan, que voltou a salvar o Alvinegro. E na festa em homenagem a Garrincha, o Santos foi quem saiu com os três pontos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.