Eleições 2020

Justiça Eleitoral determina retirada do ar de propaganda de Artur Bolinha

Em sentença, juiz também pede fornecimento de mapa de mídia das emissoras para concessão de direito de resposta.




O juiz eleitoral Bartolomeu Correia Lima, da 17ª zona eleitoral de Campina Grande, determinou a retirada do ar da propaganda eleitoral do candidato da coligação É Hora de Uma Nova História, Artur Bolinha (PSL), em que o candidato ligaria o nome do então prefeito Romero Rodrigues e do candidato a quem apoia, Bruno Cunha Lima (PSD), à corrupção devido à Operação Famintos.

Na senteça, o juiz determina também que as emissoras forneçam o mapa de mídia apresentado nos dias 15 e 16 de outubro, para que seja possível quantificar as inserções irregulares apresentadas possibilitando a correta concessão do direito de resposta em tempo igual ao que foi utilizado de forma irregular, nunca inferior a um minuto.

De acordo com a assessoria de Artur Bolinha, a defesa será apresentada no processo.

Na propaganda em questão, o locutor afirma que o candidato Bruno Cunha Lima estaria fazendo campanha nas ruas ao lado de corruptos. Segundo a representação, “com seu discurso, tenta criar um estado mental nos eleitores atribuindo ao prefeito Romero, ora representante, o status de ‘corrupto'”. A propaganda desfoca a imagem dos rostos das demais pessoas, deixando nítida apenas o rosto do candidato Bruno Cunha Lima, do prefeito Romero Rodrigues e do candidato Renan Maracajá.

Na veiculação, o locutor afirma que “Bruno é o candidato da Operação Famintos, que desviou mais de R$ 25 milhões do dinheiro da merenda das crianças de Campina. Tem vereador na sua coligação condenado a mais de 30 anos de cadeia e mesmo assim ele diz que não apoia a corrupção”.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.