Eleições 2020

Rafael Freire quer implantar projeto de mutirão popular para construção de moradias em João Pessoa

Candidato da UP foi entrevistado na CBN nesta terça-feira (27).




O jornalista Rafael Freire, candidato do UP, foi entrevistado na CBN nesta terça-feira (27). Foto: Angélica Nunes

O jornalista Rafael Freire, candidato da UP a prefeito de João Pessoa, foi entrevistado pela CBN nesta terça-feira (27). Sabatinado pelos jornalistas Carla Visani (âncora do programa), Suetoni Souto Maior, da CBN, e Laerte Cerqueira, da TV Cabo Branco, ele foi perguntada sobre aliança das esquerdas, programas de moradia, turismo e outros pontos.

O candidato da UP disse que a bandeira do partido, nesta primeira eleição em que participa, é de enfrentamento aos monopólios, seja do transporte público, como também na questão da moradia. “Todo o nosso trabalho local, de infraestrutura, educação, saúde, moradia, tem essa perspectiva é anticapitalista, de não beneficiar o grande capital e sim de colocar as pessoas em primeiro lugar”, disse.

Em relação às moradias, a proposta não pretende envolver grandes empresas da construção civil, mas pensa em requalificar moradias e construção de novas a partir do princípio do mutirão, de que as pessoas podem construir suas próprias moradias e requalificá-las a partir da ocupação das áreas na cidade que estão servindo apenas para especulação imobiliária. Há grande quantidade de terrenos que estão abandonados apenas esperando um momento para uma venda mais oportuna”, completou.

Nesse contexto, Rafael Freire propõe o ‘readensamento’ em áreas urbanas. “A gente não quer colocar pessoas em áreas da cidade que não tenha infraestrutura de saneamento, de rua, de equipamento público de saúde e educação. Nós podemos fazer um adensamento sustentável nas áreas centrais da cidade”, disse.

Falta de união da esquerda

O candidato foi inicialmente sobre a união da esquerda que poderia ter sido viabilizada em torno de uma candidatura única em João Pessoa. Rafael Freire acusou o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) de ter minado uma possível aliança em função do seu “egocentrismo”. “É uma verdadeira semeando a discórdia e a prova está aí. Foram 15 anos de gestões consecutivas, numa figura muito forte que hoje aí uma nova fase da operação calvário. No  nosso entendimento, ele nunca se explicou publicamente, dizendo que vai responder nos autos. Isso é uma forma burguesa de agir”, comentou.

Em relação a outras legendas da esquerda que também optaram por candidaturas próprias, Rafael Freire comentou da dificuldade de composição. “O PSTU e o PCO são partidos sectários, eles não dialogam, nem nas eleições e nem mesmo nos movimentos sociais. Com os companheiros do PSOL temos alianças em várias cidades do Brasil, mas avaliamos que houve uma leitura errado por parte do PSOL no processo. Primeiro eles substituíram a candidata a vice, depois o candidato a prefeito, e não houve consenso”, explicou.

Barreira e Ponta dos Seixas

Principal ponto turístico de João Pessoa, a Barreira do Cabo Branco, também foi alvo de questionamentos ao candidato. O espaço está em estado avançado de erosão e passa por obras realizadas pela prefeitura, que são questionadas por especialistas. Rafael disse que pretende fazer um novo estudo de análise ambiental para realizar uma intervenção que seja útil.

“Não há consenso sobre uma solução definitiva para barreira. O estudo que está em curso não contou com opiniões divergentes. Tem muitos pesquisadores quer constaram isso. Queremos chamar a sociedade civil organizada para reposicionar essa questão. O que me parece é que a cada 10 anos vem um projeto para paliativos, que me parecem proposital para se fazer uma novo projeto”, comentou.

Rafael Freire disse que apesar do olhar atento sobre o ponto turístico, deveria haver um maior inventivo turístico ao ponto mais oriental das Américas, que fica de fato na Ponta dos Seixas. “Os pequenos comerciantes, os pescadores, reclamam muito da falta de investimentos na área, que deveria ter equipamentos públicos, praças, criar uma cultura de contemplar o nascer do sol. Não tem dialogo, investimento, não tem sequer uma placa dizendo que ali é o ponto mais oriental das Américas”, cobrou.

 

Entrevista

 

A rodada de entrevistas com os candidatos segue na próxima quarta-feira (28), com Camilo Duarte (PCO). A ordem dos postulantes na sabatina foi definida por sorteio, com as equipes de campanha. Ao todo, o candidato tem 30 minutos para falar de projetos, experiência política e planos que pretende colocar em prática, caso seja eleito.

 

Veja a ordem dos candidatos:

 

Dia 13/10/20 – Edilma Freire (PV)
Dia 14/10/20 – Nilvan Ferreira (MDB)
Dia 15/10/20 – Anísio Maia (PT)
Dia 16/10/20 – Ítalo Guedes (Psol)

Dia 17/10/20 – Sábado
Dia 18/10/20 – Domingo

Dia 19/10/20 – João Almeida (SD)
Dia 20/10/20 – Carlos Monteiro (Rede)
Dia 21/10/20 – Cícero Lucena (Progressistas)
Dia 22/10/20 – Raoni Mendes (DEM)
Dia 23/10/20 – Wallber Virgolino (Patriota)

Dia 24/10/20 – Sábado
Dia 25/10/20 – Domingo

Dia 26/10/20 – Rama Dantas (PSTU)
Dia 27/10/20 – Rafael Freire (UP)
Dia 28/10/20 – Camilo Duarte (PCO)
Dia 29/10/20 – Ricardo Coutinho (PSB)
Dia 30/10/20 – Ruy Carneiro (PSDB)


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.