Eleições 2020

Cícero Lucena promete criação de comitê para discutir medidas contra Covid-19 e descarta lockdown em João Pessoa

Candidato do Progressistas à prefeitura foi sabatinado na CBN nesta sexta-feira (20).




O ex-prefeito Cícero Lucena (Progressistas), candidato a prefeito de João Pessoa, finalizou nesta sexta-feira (20) a rodada de entrevistas da rádio CBN para o segundo turno das eleições na capital. Sabatinado pelos jornalistas Carla Visani (âncora do programa) e Suetoni Souto Maior, da CBN, ele foi questionado sobre a possibilidade de lockdown na cidade,  propostas para a barreira do Cabo Branco, seu posicionamento em relação ao governo Bolsonaro e, ainda, sobre os ataques dos seus oponentes em relação ao residencial Torre de Babel, entregue quando ele foi prefeito de João Pessoa.
Cícero Lucena descartou a possibilidade de implantação de lockdown, afirmando ainda que irá realizar a criação de um comitê intersetorial, com representantes de áreas como indústria, comércio, serviço, escolas e, também, da ciência – pública e privada. O candidato também afirmou que, em sua gestão, caso seja eleito, a educação terá prioridade no funcionamento, mesmo em tempos de Covid-19. “Nas escolas públicas, vamos usar recursos públicos da área de enfrentamento à pandemia para oferecer tecnologia para que as crianças possam continuar tendo acesso à sala de aula”, disse.
Segundo ele, com a implantação de protocolos melhores definidos e adoção de medidas sanitárias necessárias, ele fará com que a cidade tenha condições para que não seja necessário aplicar o lockdown. “Minhas medidas serão tomadas com responsabilidade. Não vamos, por exemplo, reduzir o horário de comércio, fazendo com que aumente a relação entre demanda e oferta. Proibir é o ato mais próximo da burrice”, opinou.

 Barreira do Cabo Branco

Fazendo referência ao recente deslizamento de uma falésia na praia da Pipa, no Rio Grande do Norte, Suetoni Souto Maior questionou o candidato sobre qual seria sua proposta para a contenção da barreira do Cabo Branco, que vive risco semelhante. O candidato afirmou que irá fazer uso da tecnologia hoje disponível para poder quebrar as correntes de ondas e, assim, evitar que elas batam na barreira, provocando sua erosão. Isso seria feito através  da colocação de bags feitas com material reciclado que podem ser enchidas de areia para conter as ondas marinhas, uma tecnologia holandesa.
Cícero ainda falou sobre a necessidade de se analisar a inclinação invertida da barreira. “A onda vem, bate na parte de baixo da barreira e a parte mais alta vai ficando inclinada, tendendo ao desmoronamento. Precisamos identificar se o projeto que hoje existe está correto, até porque ele não tem uma licença ambiental e identificando isso, buscar a solução daquele problema.

Bolsonaro

“O PP não é bolsonarista, assim como não é lulista. Ele é um partido progressista”, defendeu Cícero Lucena quando questionado sobre seu posicionamento em relação ao governo federal de Jair Bolsonaro (Sem Partido). “Nós temos uma visão progressista, de fazer acontecer, de resolver os problemas. Se você se apegar a essa questão ideológica, há muita discussão e pouca ação”, disse.
O candidato ainda defendeu que seu partido, na verdade, é o futuro de João Pessoa, evitando se posicionar em relação ao cenário nacional. Ele também fez referência ao apoio do governador João Azevêdo (Cidadania), apontando, com isso, “estar aberto ao apoio de quem está disposto a trabalhar em favor da cidade de João Pessoa”.

Problemas em obras

Quando mencionadas as críticas feitas ao residencial Torre de Babel, por ter sido entregue sem reboco, Cícero considerou que essa foi uma estratégia política do adversário à época (fazendo uma referência indireta ao ex-prefeito e ex-governador Ricardo Coutinho) para desacreditar seu projeto de governo.
“Na época do que hoje é chamado pelos meus adversários de Torre de Babel, não havia programas habitacionais nacionais, o orçamento era apenas o municipal.  O que nós tínhamos na época eram famílias morando em casas de  papelão em uma área de risco de enchente  e precisamos dar uma solução a isso. Eu fiz aquelas moradias e entreguei. A única coisa que a Torre de Babel tinha de diferente era não ter o reboco”, disse.
Já em relação ao viaduto do Cristo, conhecido como ‘viaduto Sonrisal’, o candidato desafiou qualquer pessoa a mostrar um problema no viaduto. “Isso foi apenas uma estratégia do meu adversário, que falseia tanto a verdade que ele mesmo acredita. E agora nós vimos em que situação esse adversário se encontra”, disse, fazendo referência novamente ao ex-prefeito Ricardo Coutinho.

 

Entrevista

 

A ordem dos candidatos foi definida por sorteio. O candidato Nilvan Ferreira (MDB) foi entrevistado na quinta-feira (19). Assim como Cícero, o candidato teve 30 minutos para falar de propostas que pretende implantar na capital paraibana, caso seja eleito.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.