Educação

Na PB, 19 cursos superiores podem ter número de vagas reduzido

Baixos conceitos podem diminuir em 30% a oferta de vagas. Devido às notas, três instituições também tiveram negados pedidos de criação de novos cursos.




André Gomes e Bartolomeu Honorato
Do Jornal da Paraíba

O Ministério da Educação (MEC) divulgou na última quinta-feira as notas obtidas pelos cursos avaliados no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

Pela avaliação, 19 cursos de Instituições Superiores paraibanas tiveram desempenho ruim em notas que variaram entre 1 e 2, numa escala de 1 a 5. Por conta dos baixos conceitos, 30% das vagas desses cursos poderão ser diminuídas e as solicitações para criação de quatro novos cursos de três instituições da Paraíba tiveram seus processos arquivados pelo MEC.

Leia a reportagem completa na edição deste sábado do Jornal da Paraíba.

Tiveram nota 1 os cursos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, do Instituto Paraibano de Ensino Renovado, em João Pessoa; e Filosofia, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande.

Ao todo, foram avaliados no Estado 97 cursos. Os cursos que obtiveram a nota 2 foram Física, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa; Química, também da UFPB, em João Pessoa; Arquitetura e Urbanismo, do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê); História, da UFPB, em João Pessoa; Computação e Informática, do Unipê; Engenharia Civil, da UFPB, em João Pessoa; Engenharia (grupo III), da UFPB, em João Pessoa; Química, da UEPB, em Campina Grande.

A lista continua com os cursos de Arquitetura e Urbanismo, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas (Facisa), em Campina Grande; Engenharia Civil, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em Campina Grande; Engenharia Química e Engenharia Industrial, da UFCG, em Campina Grande; Engenharia de Minas, da UFCG, também em Campina Grande; Letras, da UFCG, em Cajazeiras; Química e Biologia, da UFCG, em Cajazeiras.

Os reitores da UFPB e da UFCG não foram localizados para comentar as notas. Já o reitor do Unipê, José Loureiro, não concordou com a nota da instituição. Ele disse que, no geral, o resultado do Enade foi positivo para a faculdade por ficar como a melhor instituição privada no Estado. “Nós somos a melhor instituição do Norte e Nordeste”, enfatizou.

No caso do curso de Química da UEPB – que obteve nota 2 no Enade – a reitora Marlene Alves explicou que deve ser levado em conta a nota 3 no Conceito Preliminar de Curso (CPC). “É o CPC que precisa ser observado para ver a nota da UEPB. Nós estamos é com nota baixa no curso de Filosofia, que passará a ter uma atenção especial, como investimento em infraestrutura, porque a nossa meta é atingir nota 5”, explicou a reitora.

Devido ao baixo Índice Geral de Cursos das Instituições (IGC) o MEC também arquivou os pedidos de criação para novos cursos de duas instituições paraibanas. O Instituto Paraíba de Educação e Cultura (IPEC) teve dois pedidos arquivados para Serviço Social e Enfermagem. No caso das Faculdades Integradas de Patos (FIP), foram negado o curso de Psicologia.

Segundo a secretária de educação superior do MEC, Maria Paula Dallari Bucci, além dos cortes de vagas, os processos de reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos ficam paralisados até que as instituições melhorem a qualidade do ensino.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.