Educação

Educação Emocional: projeto da UFPB melhora aprendizagem e diminui bullying nas escolas de Queimadas

Projeto é realizado há dois anos. A iniciativa já é referência na América Latina.




Foto: Gleyce Marques

Um projeto de extensão desenvolvido pelo Núcleo de Educação Emocional da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) tem melhorado a aprendizagem e diminuído os casos de bullying nas escolas municipais de Queimadas, na Região Metropolitana de Campina Grande. O projeto que já tem dois anos é responsável pela implantação da disciplina de Educação Emocional no currículo das escolas públicas no município.

Os integrantes do projeto observam que as escolas passaram a trabalhar a educação emocional de modo integral, com toda a comunidade escolar, otimizando não só a relação de alunos e professores, mas também a da escola com as famílias. “O problema emocional do aluno, muitas vezes, vem da própria casa. Daí a importância de pautar a educação emocional com os pais e responsáveis, através de reuniões”, comentou a coordenadora do Núcleo, Elisa Gonsalves.

Ainda de acordo com a pesquisadora, a educação socioemocional já é uma das competências previstas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para as escolas, embora poucas no país a tenham adotado. Até agora, quatro unidades de ensino de Queimadas já incluíram a educação emocional no currículo. A previsão é de que, em 2020, todas da rede municipal ofertem a disciplina.

Com o bom resultado do projeto, o trabalho desenvolvido já se tornou referência internacional na formação de educadores da área, o que resultou na chegada de representantes da Fundação Amar, na Argentina, e da Incluir, no Chile, que vieram conhecer de perto a iniciativa.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.