Educação

Debates entre candidatos a reitor da UFCG continuam nesta quarta

Thompson Mariz e Edilson Amorim, Amauri Fragoso e Antônio Berto se encontram no Centro de Formação de Professores (CFP), campus Cajazeiras, para o último debate desta semana.




Da Ascom da UFCG

Com um debate acirrado e com constantes manifestações da platéia, terminou na noite da terça-feira (21), no Centro de Ciências Jurídicas e Sociais (CCJS), campus de Sousa, o primeiro dia de debates entre os candidatos a reitor e vice-reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

A platéia, formada em grande número por estudantes, teve sua manifestação constantemente evocada nas questões que precisavam de acompanhamento jurídico. “Talvez uma forma dos candidatos homenagearem os alunos de Direito, um dos cursos expressivos deste Centro”, comentou o presidente da Comissão de Ética, Jailson Nicácio.

Nesse confronto de idéias, o maior desafio é manter os candidatos numa linha menos agressiva e provocante, administrando os ânimos e mantendo o foco num conjunto de propostas que auxiliem a comunidade na reflexão para sua escolha. Essa explicação do presidente da Comissão Especial, Camilo de Lelis, reflete a busca do mediador (ele próprio) para o alinhamento das diretrizes dos debates.

Novo encontro

A partir das 20h desta quarta, 22, as chapas concorrentes – Thompson Mariz e Edilson Amorim, Amauri Fragoso e Antônio Berto – se encontram no Centro de Formação de Professores (CFP), campus Cajazeiras, para o último debate desta semana.

O ciclo contemplando todos os campi da UFCG termina no próximo dia 31, em Campina Grande. Antes, no dia 29, os candidatos se encontrarão no campus Pombal para apresentarem e debaterem suas propostas com a comunidade acadêmica do Centro de Educação e Saúde (CES).

Os debates começaram na manhã na terça, 21, pela manhã, no Centro de Saúde e Tecnologia Rural (CSTR), campus Patos. À tarde, as chapas se enfrentaram no Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar (CCTA), campus Pombal.

Regras

Os debates estão sendo divididos em quatro blocos. Num primeiro momento, a Comissão Especial faz uma leitura dos currículos dos candidatos e concede 10 minutos para que cada chapa faça sua apresentação. No segundo bloco, duas perguntas são elaboradas pelas chapas, com direito a réplica e tréplica. Da mesma forma, no terceiro bloco, os candidatos respondem as perguntas sorteadas de cada categoria da comunidade acadêmica (aluno, professor e técnico-administrativo). Encerrando o encontro, os candidatos fazem suas considerações finais. Ao todo são duas horas de enfrentamento de opiniões e propostas.

Tônicas

Amauri Fragoso e Antônio Berto se apresentaram como oposição e disseram ter construído suas candidaturas de forma democrática – aberta ao público na escolha dos seus nomes – e disseram mostrar outras visões da UFCG. Completamente diferenciada e voltada à sociedade, num processo coletivo. E questionaram, entre outras ações, as parcerias com as multinacionais considerando “seus financiamentos elitistas”.

Thompson Mariz e Edilson Amorim disseram pretender continuar administrando a UFCG no compasso do atual mandato, promovendo expansões e a consolidando como uma das melhores do país. “Saímos de uma universidade quase provinciana e somos uma instituição vanguardista, de vocações regionais e que avança no seu tempo”. E, considerou todas as conquistas fruto de “uma equipe comprometida com os propósitos de uma universidade maior e melhor”.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.