Economia e Negócios

Uso de GPS requer cuidados do motorista

Usuários precisam ficar atentos a possíveis falhas no sistema de localização ou ‘bugs’ nos aparelhos, que podem alterar rotas.



Felipe Gesteira
Felipe Gesteira
Também é necessário ficar atento a atualizações na mudança de sentido de tráfego e atualizações de mapas

O sistema de posicionamento global, mais conhecido como GPS (do inglês, Global Positioning System), é uma das melhores ferramentas para localizar e orientar motoristas que têm dificuldade de chegar em determinados destinos. Entretanto, antes de confiar por inteiro na ferramenta, é preciso ficar atento aos comuns ‘bugs’ dos aparelhos, falhas que podem transformar um curto trajeto em uma jornada sem fim.

Um caso emblemático no início deste ano, que ficou conhecido no mundo todo, foi o de Sabine Moreau, 67 anos, que saiu de sua residência, no vilarejo de Solre-sur-Sambre, para encontrar uma amiga em Bruxelas, capital de seu país, Bélgica. Após digitar o endereço de destino no GPS, a senhora confiou no aparelho e seguiu o trajeto. Resultado: acabou indo parar dois dias depois em Zagreb, capital da Croácia, a 1.450 km de sua casa, quando o percurso normal deveria ser de apenas 61 km.

Esse tipo de erro pode acontecer por duas razões: erro humano, ao digitar um endereço errado, ou falhas no sistema de localização, que não são difíceis de acontecer nesses dispositivos.

A professora de Geoprocessamento Michele Beppler, do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), falou sobre as principais falhas que podem acontecer na localização via GPS.

“Todo equipamento de posicionamento por satélite apresenta uma imprecisão, que pode variar de poucos milímetros até 15m. Esses erros atribuídos têm suas causas conhecidas, por exemplo o erro de multicaminho, que se dá quando o sinal emitido pelos satélites bate em obstáculos, como prédios, casas, árvores, e depois é refletido para a antena do receptor. Portanto, é recomendável que a antena do receptor fique a uma distância mínima desses obstáculos”, explicou a professora, que é especialista em Engenharia Cartográfica.

Além disto, é necessário também ficar atento a atualizações na mudança de sentido de tráfego de avenidas e outras atualizações de mapas.

O sistema de geolocalização pode ser encontrado em duas formas: nos navegadores GPS, aparelhos que são acoplados ao painel dos veículos e através de aplicativos em dispositivos móveis, como smartphones e tablets, disponíveis em versões gratuitas e pagas. Com preço variado entre R$ 300,00 e R$ 1.500,00, os aparelhos de GPS têm alta comercialização no Brasil, com empresas que oferecem serviços diversificados. Mio, TomTom, Garmin, Magellan e Pioneer são só algumas das marcas populares no país. Antes de escolher um modelo, entretanto, é preciso entender qual uso será feito do equipamento.

Para o usuário que costuma viajar, por exemplo, o ideal é comprar o dispositivo que ofereça facilidade e bom preço na hora de baixar novos mapas. Aqueles que precisam de muitas informações no aparelho, como mapas, devem analisar a capacidade de armazenamento do aparelho, investindo naqueles com alta potência (alguns modelos têm memória interna e espaço para cartão de memória).

Outro ponto interessante é a navegação guiada por áudio, onde o aparelho ‘fala’ qual percurso o motorista deve fazer, dessa forma não é necessário olhar a tela do equipamento enquanto dirige.

Portanto, é importante fazer testes prévios no produto, analisando a qualidade do áudio emitido pelo navegador. (Especial para o Jornal da Paraíba)


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.