Economia e Negócios

Telefonias não explicam panes

Durante audiência pública empresas se ateram em detalhar planos e investimentos para melhoria nos serviços. 




Durante as exposições, as operadoras de telefonia móvel se limitaram a apresentar os planos de investimentos para melhoria e ampliação da cobertura na Paraíba. A Oi, principal alvo das críticas durante a sessão especial, por meio do diretor Regional de operações, Luis Haroldo, repetiu o anúncio de R$ 78 milhões para o aperfeiçoamento das linhas de transmissão em todo Estado. "Além dos aportes financeiros, a empresa também está preocupada com a qualidade e não apenas com a ampliação da cobertura", afirmou.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB-PB), Odon Bezerra, disse que não ficou satisfeito com o que foi apresentado pelas companhias na audiência pública. "Não quero ser rude, mas só ouvi publicidade aqui. Minha fala é também de um consumidor indignado com a má qualidade nos serviços prestados pelas operadoras no Estado", declarou.

Já o promotor do consumidor, Glauberto Bezerra, classificou como "ação criminosa" a prestação de serviços de telefonia móvel na Paraíba e a ausência de respostas às determinações do Ministério Público sobre os atuais serviços prestados. "Fazer publicidade usando a palavra ‘ilimitado’, com condições em letras escondidas, é má fé", exclamou o promotor Glauberto Bezerra.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.