Economia e Negócios

SindiTelebrasil culpa municípios

Para o Sindicato das Empresas de Telefonia Móvel no Brasil, operadoras enfrentam problemas com legislação dos municípios.




Em nota oficial de esclarecimento divulgada ontem, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) atribuiu os problemas de sinal das operadoras à legislação dos municípios. De acordo com o texto, a decisão de impedir a venda de chips das empresas Claro, Tim e Oi nos estados brasileiros foi baseada em queixas apresentadas ao Call Center da Anatel, que não revelariam as reais condições das redes que suportam os serviços.

A principal barreira para as empresas, segundo o sindicato, estaria na dificuldade de expansão, especialmente das antenas de celular. Neste sentido, qualquer melhoria da qualidade dos serviços só poderia ser garantida com a expansão de infraestrutura e esta estaria impedida por diferentes leis municipais.

Com relação à Paraíba, o presidente da Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup), Buba Germano, esclareceu que todos os municípios do Estado têm total interesse em receber a estrutura oferecida pelas empresas, inclusive, porque, na opinião dele, qualidade na telefonia implica, diretamente, no desenvolvimento das cidades. “Esta questão é empresarial, de falta de investimentos e boa prestação de serviços e não de legislação municipal. Infelizmente, quem perde somos nós consumidores”, afirmou.

O SindiTelebrasil, em nome das prestadoras, afirmou que o setor incita a Anatel a fazer ações junto a Estados e municípios para que cumpram a legislação federal e as regulamentações do órgão regulador e reiterou que a "suspensão das vendas só traz prejuízos para a população e não resolve os eventuais problemas de qualidade dos sinais de telefonia móvel".

ENTENDA O CASO
Na tarde da última quarta-feira a Anatel determinou que, em retaliação à má prestação de serviços de telefonia móvel, as vendas de novas linhas das empresas Claro, Oi e Tim estariam suspensas nos estados nas quais fossem consideradas piores.

A medida cautelar atingiu todos os estados brasileiros e Distrito Federal. Na Paraíba, a Tim foi considerada a ‘pior’ operadora, portanto não poderá – a partir da próxima segunda-feira – comercializar chips no Estado. Ao todo, as vendas da companhia foram suspensas em 18 estados e no DF, as da Oi em cinco estados e as da Claro em três.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.