Economia e Negócios

Quase 90% dos pequenos negócios da Paraíba têm queda no faturamento durante a pandemia, diz Sebrae

Para driblar a crise os microempreendedores buscaram crédito em bancos, mas 72% não conseguiu retorno ou ainda o aguardam. 




Dados do Sebrae, divulgados nesta terça-feira (19), apontam que pelo menos 89,6% das pequenas empresas da Paraíba registraram queda no faturamento mensal, em consequência da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus. O levantamento foi realizado entre os dias 30 de abril e 5 de maio, e ouviu mais de 10 mil microempreendedores individuais de todo o Brasil.

Do total de pequenos negócios consultados na pesquisa, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), apenas 3,2% afirmaram que o faturamento durante a pandemia permaneceu igual ao observado anteriormente, e 1,1% declarou que o faturamento aumentou. Para os quase 90% que registraram diminuição no orçamento, a queda ficou em cerca de 64,9%, enquanto para os que registraram aumento, a alta ficou em torno de 20%.

Como forma de tentar driblar a crise, muitos microempresários individuais solicitaram crédito às instituições bancárias. No entanto, o levantamento do Sebrae também mostra que 72% dos pequenos negócios paraibanos que procuraram esse tipo de auxílio financeiro durante a pandemia da Covid-19, não conseguiram retorno ou ainda o aguardam. 

Em comparação à épocas anteriores à pandemia, o retorno dos bancos se mostrou contrário em relação a concessão de empréstimos. Cerca de 50,3% dos MEIs que solicitaram crédito antes da pandemia do novo coronavírus conseguiram, 17,8% tentou e não conseguiu e 31,9% nunca havia buscado empréstimos.

Entre as instituições bancárias com as quais o público ouvido no levantamento buscou crédito através de empréstimos, se destacam o Banco do Nordeste, com 36,6% das tentativas, a Caixa Econômica Federal, com 35,6%, e o Banco do Brasil, com 30,9% das buscas por crédito.

Para Germana Espínola, analista do Sebrae Paraíba, a quantidade de empresários em busca de financiamento para gerenciar os negócios nesta época de crise econômica é crescente, e para obter retorno, eles precisam analisar a saúde financeira da empresa. 

“Eles (os empresários) devem perceber que eles precisam analisar a saúde financeira de sua atividade e verificar a real necessidade desse crédito. Outro fator importante para terem acesso ao crédito é mostrar ao gerente de relacionamento do banco que vocês possuem conta todo o planejamento para aplicação desses recursos nas suas atividades. Qual a necessidade desse capital de giro ou qual a necessidade para compra de equipamentos?”, explicou Germana.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.