Economia e Negócios

Projeto 'Sereias da Penha' completa 5 anos levando artesanato de João Pessoa para o mundo

Iniciativa permite a inclusão social com a apropriação da cultura local.




Iniciativa já lançou cinco coleções (Foto: Divulgação/Secom-JP)

Projeto que tem mostrado a força do artesanato pessoense nos cenários nacional e mundial, o ‘Sereias da Penha’ completou cinco anos no final de julho e vem mudando a história de vida de mulheres de João Pessoa. A iniciativa da prefeitura da capital permite a inclusão social com a apropriação da cultura local na comunidade da Praia da Penha.

O que começou de forma pequena se tornou um grande projeto. Ao longo dos anos, a iniciativa já lançou seis coleções, que marcaram a moda com um novo estilo, reaproveitando, por exemplo, a escama do peixe. ‘Fúria da Sereia’ é uma delas, que também contou com as coleções ‘Sereias Sertaneja’, ‘Sula Sereias’, ‘Sereias Casa’, entre outras. E elas não param por aí, as artesãs do projeto já estão preparando uma nova coleção, que mistura algodão, escama de peixe e crochê.

A coordenadora do ‘Sereias da Penha’, que atua desde 2014, Joseane Isidro, destacou o crescimento do projeto durante os cinco anos de atuação. “Eu lembro que cheguei aqui sem muita pretensão, tentando arrumar um destino para minha vida e foi neste local que conquistei alguns sonhos. Quando a gente vê hoje o projeto, que já teve tantas conquistas, só nos dá alegria. E uma dessas conquistas foi a nossa loja, que completou três anos que temos aqui na Praia da Penha”, disse.

O crescimento da iniciativa não está apenas nas peças desenvolvidas a partir das escamas dos peixes e do crochê, mas também é visto nos eventos que o projeto realiza e já participou. Um deles é o ‘Sereia Black’, que realiza palestras, oficinas e apresentações culturais e que para este ano traz muitas novidades, como a comemoração dos cinco anos do projeto e uma nova coleção, além das novas redes sociais.

Projeto tem mudado a vida de mulheres da Penha (Foto: Divulgação/Secom-JP)

“Para esta edição do ‘Sereia Black’, vamos trabalhar bastante e fazer um evento lindo e cheio de novidades, afinal, são cinco anos de projeto, que vem sendo desenvolvido com muito amor e carinho, tanto pelas artesãs, como pela gestão da Prefeitura Municipal. Então, o público pode esperar que, em setembro, terão muitas novidades para todos”, antecipou a coordenadora Joseane.

Foi por meio do projeto que João Pessoa integrou a Rede Mundial de Cidades Criativas da Unesco (UCCN). O título veio como um reconhecimento ao incentivo e investimento que a PMJP dá à arte popular e à economia criativa, tornando a cidade à única do Nordeste a integrar a lista da UCCN, além de ter sido a única cidade brasileira a integrá-la em virtude do estímulo à economia criativa através do artesanato. Outro grande marco foi à participação das peças no desfile do São Paulo Fashion Week, que abriu as portas para a divulgação nos cenários nacional e mundial.

Para a artesã Wilhandra Ferreira, ter seu artesanato sendo destaque no São Paulo Fashion Week foi motivo de muito orgulho.”Sabe quando você olha e fica feliz com o resultado, foi quando a gente viu o nosso trabalho sendo divulgado para todo o Brasil e fora também. Eu, antes do projeto, não sabia trabalhar com artesanato, aí logo você ver sua arte em um desfile nacional, isso é para morrer de felicidade”, disse a artesã

Já para a artesã Patrícia Maria, que atua no projeto desde a fundação, essa foi uma oportunidade não só de ter uma renda, mas de sonhar com uma vida melhor. “Foi aqui que voltei a sonhar, aprendendo a fazer pulseira, brinco, crochê e colares. Eu vejo como um sonho para ter uma qualidade de vida melhor, ter uma profissão e ocupar meu tempo, além de não parar com os serviços de dona de casa, mas hoje além de dona de casa sou artesã”, enfatizou com o sorriso no rosto.

Loja das Sereias da Penha

Emponderadas e donas do próprio negócio, clientes de todo o país passaram a procurar o trabalho delas cada vez mais. Segundo a coordenadora, o local recebe cerca de 250 pessoas em alta temporada e em dias normais cerca de 50 pessoas. “Esse é um número que só cresce, pois a gente ver a procura maior do pessoal e, por isso, estaremos vendendo, em breve, os nossos produtos também pelas redes sociais”, divulgou Joseane. O local funciona de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h. E aos sábados, das 9h às 12h.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.