Economia e Negócios

Paraíba registra queda de 43,6% em pedidos por seguro-desemprego em junho

Foram 5,9 mil pedidos em junho, enquanto mais de 10 mil foram registrados em maio.




Carteira de trabalho

A Paraíba registrou uma queda de 43,6% nos pedidos de seguro-desemprego durante o último mês de junho, em comparação ao mês de maio. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (9), no boletim mensal da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, e dão conta que 5.923 pedidos pelo benefício foram realizados em junho. Em todo o Brasil, foram 653,2 mil pedidos.

Veja aqui o levantamento do Ministério da Economia

De acordo com o boletim mensal do seguro-desemprego, do Ministério da Economia, no mês de maio deste ano a Paraíba teve 10.515 pedidos pelo benefício, enquanto em junho o número caiu em cerca de 43%, chegando a pouco mais de 5,9 mil.

Pelo menos 61,3% do total de pedidos do seguro-desemprego, ou seja, 3.630 pedidos documentados em junho foram requeridos pela internet. No mesmo período, em 2019, apenas 13 dos pedidos foram realizados de maneira online, o que corresponde a 0,3% do total contabilizado à época.

Ainda comparando os dados por ano, a quantidade total de pedidos pelo benefício aumentou cerca de 14% em 2020, passando de 5.185 em junho de 2019, para 5.923 no mesmo período deste ano. O aumento pode ser relacionado a crise econômica em decorrência da pandemia da Covid-19, que tem provocado demissões em vários setores.

 

No Brasil

 

No Brasil a quantidade de pedidos do seguro-desemprego também caiu, em cerca de 31%, em junho, em comparação com o mês de maio. Foram 653.160 pedidos em junho de 2020, enquanto em maio, o país registrou quase 1 milhão de solicitações, com pouco mais de 960 mil pedidos.

Os pedidos pelo benefício foram distribuídos em setores, da seguinte maneira:

  • Serviços: 41,7%;
  • Comércio: 25,4%;
  • Indústria: 18,7%;
  • Construção: 10,1%;
  • Agropecuária: 4,1%.

 

O seguro-desemprego

 

O seguro-desemprego é um benefício trabalhista, que dá direito aos brasileiros demitidos receberem uma quantia em dinheiro durante um período determinado. São pagas de três a cinco parcelas de maneira contínua ou alternada, de acordo com o tempo trabalhado.


(Sob supervisão de Jhonathan Oliveira*)


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.