Economia e Negócios

Mais de 500 mil paraibanos foram impedidos de procurar emprego por conta da pandemia

Segundo IBGE, percentual de desempregados paraibanos em busca de emprego em junho foi 4% maior que em maio.




Foto: Dayse Euzébio/Secom-JP

Durante o mês de junho, cerca de 504 mil paraibanos desempregados, que gostariam de trabalhar, foram impedidos de procurar emprego por conta da pandemia da Covid-19. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua da Covid-19, e foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (23).

O percentual no estado é 4% maior, ou seja, tem 19 mil pessoas a maios que no mês de maio, quando 485 mil paraibanos não puderam ir em busca de trabalho por motivos relacionados à pandemia do novo coronavírus.

Apesar da alta registrada em junho, o estado permaneceu com a 4ª menor taxa do país de participação na força de trabalho, ou seja, de pessoas que estavam empregados e procuraram trabalho no período de referência. Em relação ao observado em maio, o índice caiu 43,7% e só foi menor que o registrado nos estados do Piauí (40,9%), em Alagoas (42,6%) e no Maranhão (43,6%).

O IBGE também apontou que a quantidade de pessoas que estavam empregadas, mas afastadas dos postos de trabalho por conta do distanciamento social também diminuiu, passando de 329 mil no primeiro mês pesquisado para 248 mil em junho.

Em relação ao trabalho remoto houve uma redução de 16,4% registrado em maio, para 16%, em junho. Apesar disso, o percentual permaneceu como o 4ª maior índice do país, atrás apenas do Distrito Federal (25,8%), Rio de Janeiro (22,8%) e São Paulo (18%).

 

Auxílio emergencial

Ainda de acordo com a PNAD Covid-19, o percentual de domicílios que recebeu algum tipo de auxílio financeiro relacionado à pandemia do novo coronavírus aumentou paras 56,9% na Paraíba, em junho, em comparação a maio.

Embora o percentual represente mais da metade das residências do estado, o indicador é o terceiro menor do Nordeste, maior apenas que os de Sergipe (55,6%) e do Rio Grande do Norte (56,1%). A média de valores recebidos por meio do auxílios ficou de R$934 no estado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.