Economia e Negócios

João Pessoa registra R$ 8 bilhões em vendas de imóveis novos em quatro anos

Montante representa quase 29 mil ofertas, divididas em residenciais e comerciais; 74,5% foi vendido.




Construção, obra, construção civil, prédio, edifício

João Pessoa registra R$ 8 bilhões em vendas de imóveis novos em quatro anos. Foto: Rizemberg Felipe

João Pessoa é uma das capitais brasileiras que mais cresce. Essa constatação pode ser confirmada pela pesquisa contratada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon-JP), realizada pela Brain, empresa sediada em Curitiba. Somente no ano passado, a capital paraibana movimentou R$ 1,5 bilhão em vendas de imóveis novos, divididos em residenciais (horizontal e vertical) e comerciais. Nos últimos quatro anos, o valor total do que foi vendido chega a R$ 8 bilhões, valor que corresponde a 74,5% do total que foi disponibilizado pelas construtoras (R$ 11,1 bilhões).

A pesquisa analisou os números referentes ao período entre 2016 e 2019, com referência exclusivamente a imóveis novos, empreendimentos lançados e valores médios de venda das unidades habitacionais e comerciais.

De acordo com Fábio Araújo Tadeu, um dos responsáveis pela pesquisa, João Pessoa apontou um crescimento distribuído em várias faixas de valor, diferente de outras capitais do Nordeste, que este fator também acontece, mas provocado pela proliferação do Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal.

“Os dados mostraram que João Pessoa tem um crescimento acentuado, proporcionado por pessoas de todos os níveis de renda e classe social. Maceió também cresceu, por exemplo, mas com uma grande força do Minha Casa Minha Vida, diferente do que aconteceu em João Pessoa nestes últimos quatro anos”, disse Fábio, que acrescentou:

“Achamos que o mercado em 2019 foi muito ativo. Tivemos muitos lançamentos em João Pessoa e isso mostra que é um mercado ativo, que as empresas incorporadoras da cidade estão saudáveis e pela quantidade de vendas, a tendência é que continuemos com essa crescente pelos próximos anos”, comentou.

Apartamentos de R$ 300 mil a 3 milhões

A metodologia da pesquisa dividiu os apartamentos em sete padrões: Especial (pequenos imóveis localizados perto da orla marítima, como flats, por exemplo), Econômico (apartamentos com dois quartos, com tamanho entre 40 e 50 metros quadrados, adquiridos pelo Minha Casa Minha Vida), Standart (padrão semelhante ao Econômico, só que sem o Minha Casa Minha Vida) e Médio (apartamentos maiores, entrando quase nos padrões mais elevados), além dos mais elevados (Alto, Luxo e Super Luxo).

Os preços médios para os apartamentos em João Pessoa são: Especial (303 mil), Econômico (143 mil), Standart (306 mil), Médio (508 mil), Alto (843 mil), Luxo (1,3 milhão) e Super Luxo (3,04 milhões).

Caem as ofertas de casas

Em uma análise geral, entre os imóveis que foram lançados e os que ainda não foram vendidos, os índices apresentados revelam que em João Pessoa houve uma queda na oferta de casas. Das quase 8 mil residências horizontais que foram lançadas nos últimos quatro anos, até 31 de dezembro do ano passado restavam apenas 986, que representa 12,5% do total.

Fábio Araújo Tadeu explicou que quando a disponibilidade fica entre 20 e 28%, que é o caso de apartamentos (26,9%), significa que o mercado está equilibrado. Em relação às casas, a pesquisa aponta um percentual de 12,5%. Ele também explicou que a segurança é um dos fatores que levam os compradores a preferirem apartamentos, ao invés de casas.

“As grandes cidades não têm mais para onde crescer e isso é um fator. Porém, um dos mais importantes diz respeito à insegurança. Na medida em que aumenta a insegurança, favorece a venda de mais apartamentos. Na Capital, a preferência por apartamentos ou casas é meio a meio, mas no interior, a quantidade de pessoas que preferem os imóveis horizontais chega a 80%”, disse Fábio.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.