Economia e Negócios

Claro e Vivo vencem leilão da 4G

Os lances iniciais para cada uma dessas opções partiam de R$ 630,191 milhões.




A parte mais importante do leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi encerrada com a venda dos quatro lotes nacionais da tecnologia 4G (quarta geração). As maiores ganhadoras foram Claro e Vivo, que ficaram com as frequências de maior capacidade de cobertura. Os lances iniciais para cada uma dessas opções partiam de R$ 630,191 milhões.

O valor pago pela Claro foi de R$ 844,519 milhões. Já a Vivo arrematou por pouco mais de R$ 1 bilhão. As duas últimas frequências nacionais ficaram com a Tim e a Oi, que pagaram, respectivamente R$ 340 milhões e R$ 330 milhões. O lance inicial para esses lotes era de R$ 315 milhões.

Essas quatro operadoras poderão oferecer a tecnologia 4G em todo o país. Elas serão obrigadas a ofertar o serviço também nas zonas rurais, sendo que cada lote correspodente a uma determinada região.

A quarta geração da telefonia celular vai permitir acesso à internet em velocidade até dez vezes mais rápida que a oferecida atualmente pelas operadoras, mas a evolução do sistema, no entanto, dependerá do esforço e do investimento das operadoras e os serviços só devem ser contratados, inicialmente, por usuários de maior poder aquisitivo. Só depois os serviços serão popularizados. Essa é a avaliação dos principais executivos das operadoras de telefonia Vivo e Claro.

Para o presidente da Vivo, Carlos Valente, os primeiros clientes da 4G serão, além dos usuários com maior poder aquisitivo, clientes com perfil "inovador". O presidente da Claro, Carlos Zentena, ratifica o concorrente. "O serviço será mais caro que o da atual terceira geração (3G) e deve ser adquirido, inicialmente, por usuários das classes A e B, especialmente para melhorar a conexão à internet por meio de telefones celulares com funções de computador.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.