Economia e Negócios

Bairro de Água Fria lidera valorização em João Pessoa

Bairro da Zona Sul de João Pessoa registrou a maior valorização do metro quadrado na capital.



Alberi Pontes
Alberi Pontes

O bairro de Água Fria, na Zona Sul de João Pessoa, registrou a maior valorização do metro quadrado na capital, no comparativo entre os preços de dezembro de 2012 e os do mesmo mês do ano anterior. A alta de 25,76% fez o valor médio da metragem saltar de R$ 2.325,79 para R$ 2.924,65, em apenas 12 meses. A valorização do bairro é recente, mas a taxa não foi pequena em 2010 para 2011 (18,91%), ficando em 6º lugar. A proximidade com as duas maiores universidades da capital (UFPB e Unipê) é um dos ingredientes da elevação.

Os dados do ranking são do Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon-JP), consolidados pelo tecnólogo em negócios imobiliários Fábio Henriques, e se referem às unidades novas ou em lançamento (veja o ranking no quadro).
Além de Água Fria, os populares Alto do Mateus (+18,13%) e Funcionários (+17,11%) ficaram entre os cinco mais valorizados na mesma comparação.

“Sobre essas taxas, o investidor tem de pensar nelas, mas também na localização e no tipo do imóvel para saber se encontrará ali um bom negócio. Por exemplo, o percentual médio de valorização em Tambaú (+4,08%) foi bem abaixo de Água Fria, mas se você comprar um apartamento na orla, bem equipado, terá um índice maior. É preciso analisar o mercado”, orientou Fábio Henriques.

Neste sentido, do ponto de vista que questiona se imóveis na Zona Sul são ou não um bom investimento, o presidente do Sinduscon-JP, Fábio Sinval, acredita que eles têm bastante potencial. “Quem tinha terreno e construiu, se deu muito bem. A Zona Sul pode sim dar boas oportunidades para o investidor”, comentou.

Para Sinval, as altas nos preços médios daquela região se justificam pelo crescimento da parcela da população das classes emergentes, capaz de comprar um imóvel. Segundo ele, com mais gente querendo (e podendo) comprar, os terrenos ficam mais caros pela lei de ‘oferta e procura’, o que acaba influenciando o valor final do metro quadrado. “A demanda que tem hoje, mais oportunidades de crédito [através do ‘Minha Casa, Minha Vida’, por exemplo] cresceu e o mercado se adaptou a isto. A região se valorizou ainda pelos recentes lançamentos com foco mais popular e, além disso, existe a especulação imobiliária”, pontuou.

MANGABEIRA RECUA
Caminhando na contramão frente aos demais exemplos, Mangabeira foi o único bairro da capital que apresentou recuo no ano passado (-0,95%), com os preços médios caindo de R$ 2.188,93 para R$ 2.167,16. Em 2011 sobre 2010, a alta tinha sido de 21,61%.

Segundo Fábio Henriques, essa desvalorização para os imóveis novos era esperada, pois o bairro tem carências de áreas para construir e não conta, ainda, com lançamentos imobiliários. “Não existe um lançamento expressivo lá, não há novidades. O que há, agora, é a especulação imobiliária para os imóveis antigos – que não entram na amostragem – por causa do novo shopping”, explicou o corretor.

CABEDELO
Segundo levantamento, os bairros de Cabedelo – Camboinha (+19,75%) e Intermares (+18,41%) – tiveram boas elevações e subiram no ranking da Grande João Pessoa, ocupando a 2ª e a 3ª posição em 2012, respectivamente. “Camboinha é um mercado de segunda residência, um mercado que ficou aquecido e atraiu muitos investimentos.”, acrescentou Sinval.

Dos 10 primeiros lugares em 2011, apenas os três primeiros de 2012 permaneceram em suas posições no ranking de valorização (Água Fria, Camboinha e Intermares). Já os outros sete bairros (Tambaú, Tambauzinho, Bairro dos Estados, Mangabeira, Miramar, Jardim Luna, Bancários) reduziram as taxas de valorização e caíram no ranking no ano passado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.