Cultura

Zélia Duncan e artistas franceses fazem shows no Ponto de Cem Réis

Evento de dois dias terá shows com Renata Arruda, Zélia Duncan e Orquestra Sanhauá, com muito blues, rock e jazz em comemoração ao Ano da França no Brasil.



Divulgação
Divulgação
Louis Bertignac e Zélia Duncan se apresentam juntos no Station Brésil

Da assessoria

Nos dias 31 de outubro e 01 de novembro (próximos sábado e domingo), o Ponto de Cem Réis será palco de um encontro muito especial das culturas brasileira e francesa. Trata-se do Station Brésil, festival de música que une no mesmo palco artistas dos dois países, como forma de celebrar o Ano da França no Brasil.

Os shows gratuitos têm como objetivo promover parcerias inéditas entre representantes destas diferentes culturas. As apresentações de João Pessoa serão as primeiras do festival, que no Nordeste acontece apenas na Paraíba e em Recife, Pernambuco.

Acesse mais opções de lazer na Agenda Cultural

No dia 31, está prevista a apresentação da paraibana Renata Arruda, a partir das 20h00. Já no dia 01 de novembro o Statión Brésil, apresentará encontros inusitados. A partir das 18h00, subirão ao palco as duplas Banda de Pífanos da Serra do Jabitacá e Jeanne Cherhal, Spleen e Cibelle, Bertignac e Zélia Duncan, além de Mathieu Boogaerts e Orquestra Sanhauá.

O festival também terá shows nas cidades de Recife (03 e 04 de novembro), Brasília (10 e 11 de novembro) e São Paulo (14 e 15 de novembro), com outras duplas de artistas brasileiros e franceses.

Perfil dos artistas

Jeanne Cherhal, que se apresentará em João Pessoa com a Banda de Pífanos da Serra do Jabitacá, foi premiada em 2005 como artista revelação no Victoires de la Musique (um dos principais concursos de música na França). É uma das cantoras com melhor performance de palco da sua geração.

Ela já vendeu 100 mil discos nos dez anos de uma carreira que construiu ouvindo de Björk e Tori Amos a Sonic Youth. Nos shows, destacam-se as atuações de Jeanne ao piano, tocando baixo, e seu vocal evidentemente pop. Muitas de suas letras detalham as minúcias da vida cotidiana com sensibilidade e inteligência. Jeanne se apresentará em João Pessoa com a Banda de Pífanos da Serra do Jabitacá, formada por trabalhadores rurais que levam adiante um dos sons mais tradicionais da cultura nordestina.

O mais novo dos artistas franceses no festival, Spleen navega entre o blues e o hip hop, cantando em inglês ou francês. No seu segundo álbum, “Comme un enfant”, de 2008, o artista compõe como uma criança, escrevendo letras com palavras simples e sentimentos profundos. Spleen fala sobre seus relacionamentos amorosos e sua paixão pela música, adaptando sua voz de acordo com os temas, combinando tons agudos e suaves. Suas melodias são relaxantes e, ao mesmo tempo, empolgantes.

A sua parceira de palco, Cibelle, é uma brasileira que mora em Londres desde 2002 e tem influências tão diversas como Nina Simone, Tom Jobim e Bjork. Apesar de recusar o título de “musa da eletrobossa”, a multi-instrumentista de voz doce e suave admite a inspiração da bossa nova no seu trabalho e garante que sua música é orientada pelo seu filtro interno, que faz com que os sons que absorve em suas andanças pelo mundo saiam à sua maneira.

Considerado o padrinho da nova cena musical francesa, Louis Bertignac produziu e fez os arranjos do bem-sucedido álbum “Quelqu’un m’a dit” – de sua ex-namorada e hoje primeira-dama da França, Carla Bruni -, que vendeu mais de 2 milhões de cópias. Bertignac será parceiro de palco de Zélia Ducan, já conhecida pelo público pelo seu trabalho na MPB.

Com quinze anos de carreira, Mathieu Boogaerts é um destaque na canção contemporânea francesa. Em seu novo álbum “I love you”, de 2008, o autor do hit “Ondulé” muda radicalmente e dá uma batida mais electro rock, rap e funk rock às suas composições, antes muito mais influenciadas pelo reggae. A saída de seu fiel companheiro violão, substituído por instrumentos de percussão e recursos eletrônicos, é a aposta do último trabalho do cantor.

Deixando a introspecção no passado, Boogaerts quer agora provocar o ouvinte com um som inovador. A parceria de Boogaerts será com a Orquestra Tabajara que em sua formação de Big Band reúne professores de música das universidades federais da Paraíba (UFPB) e do Rio Grande do Norte (UFRN), e da Orquestra Sinfônica da Paraíba, entre outros.

Programação

João Pessoa (PB)
Local: Ponto de Cem Réis (Praça Vidal de Negreiros – Centro)

Dia 31/10 – início às 20h

Renata Arruda

Dia 01/11 – início às 18h

Banda de Pífanos + Jeanne Cherhal
Spleen + Cibelle
Bertignac + Zélia Duncan
Mathieu Boogaerts + Orquestra Sanhauá


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.