Cultura

Rita Ribeiro se apresenta nesta quarta em João Pessoa

Show acontece a partir das 20h no Ponto de Cem Réis, na Capital. Cantora apresenta sucessos co seu mais novo álbum Tecnomacumba.



Divulgação
Divulgação
Show acontece às 20h no Ponto de Cem Réis, na Capital

Audaci Junior
Do Jornal da Paraíba

O DNA musical da cantora Rita Ribeiro se encontra na sua terra de origem, o estado do Maranhão, onde levou dobrados e bem acomodados na sua bagagem para o Rio de Janeiro, cidade onde atualmente vive, as culturas africanas e indígenas, com o tambor de crioula, o lelê, o cacuriá, o bumba-meu-boi, além dos ritmos tipicamente urbanos. “Levo à máxima a frase de Tolstoi: ‘Canta a tua aldeia e serás universal’”, avisa em entrevista ao Jornal da Paraíba.

Confira mais opções de lazer na Agenda Cultural

Rita já visitou a capital paraibana diversas vezes, mas em apresentações mais íntimas, de voz e violão. Ela leva pela primeira vez o show de um projeto que tem já sete anos de vida, o Tecnomacumba, lançado ano passado. A apresentação faz parte da Quarta Negra, evento promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa – Funjope, e acontece a partir das 20h, desta quarta-feira (17) no Ponto de Cem Réis.

Na mesma noite sobem ao palco a banda pessoense Mamma Jazz, sintonizando seu recém-lançado álbum, Nôkana Disquicy. Sem ter a ciência do que viria a se tornar um projeto, Tecnomacumba começou com shows onde a maranhense cantava ao lado de convidados como Leci Brandão e Sandra de Sá.

Depois de várias temporadas em casas de show pelo país, visto por mais de 200 mil pessoas, os resultados foram os lançamentos de um CD em estúdio e um ao vivo, junto com um DVD, além do Prêmio Rival Petrobras de Música na categoria Melhor Show, em 2005, e a de Melhor Cantora (categoria Canção Popular) no Prêmio da Música Brasileira do ano passado.

“O ‘tecno’ vem de ‘tecnologia’ e não do ritmo, que as pessoas tende a rotular. Existe samples e efeitos nas músicas, mas essencialmente elas se espelham na herança africana de Dorival Caymmi, Jorge Ben, Caetano e muitos outros artistas que a cultivaram”, explica.

Veja matéria completa no Jornal da Paraíba


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.