Cultura

Nova ordem social na TV

Novo seriado da Globo, que estreia nesta quinta-feira (1) marca a passagem de personagens menos granfinos na teledramaturgia brasileira.



TV Globo/divulgação
TV Globo/divulgação
Suburbia: com oito episódios, 'Suburbia' será exibido semanalmente na TV Globo

A televisão está passando por uma nova ordem social. O sucesso de novelas como Cheias de Charme e Avenida Brasil, com personagens de camadas populares como empregadas domésticas e cenários antes invisíveis no horário nobre, como um lixão carioca, expulsou dos lares brasileiros os granfinos de terno e gravata, bebendo uísque ao som de bossa nova em um apartamento com vista para o mar.

"A televisão dança conforme a música", reflete o escritor Paulo Lins, autor de Cidade de Deus (1997) e roteirista de Suburbia, seriado que estreia hoje, às 23h, na Rede Globo (faixa antes ocupada por Gabriela). "Esta temática da classe emergente é também uma temática, por assim dizer, emergente", completou em entrevista por telefone ao JORNAL DA PARAÍBA.

Paulo Lins escreveu o roteiro de Suburbia com o diretor Luiz Fernando Carvalho (Afinal, O Que Querem As Mulheres? e Capitu), e buscou, a partir da história de uma rainha de bateria e um órfão de pai que se envolve com a criminalidade, construir um drama social ambientado na zona norte carioca nos anos 1990.

"Na ditadura não se conseguia falar sobre problemas sociais. Após a abertura, estes temas foram sendo mais desenvolvidos. É natural que a violência, o racismo e a exclusão também desemboquem na televisão", afirma Lins.

Segundo ele, a primeira versão do roteiro era um romance que está sendo negociado com uma editora. "Foi deste romance que adaptamos o roteiro, tudo escrito a quatro mãos". Além do livro, ainda sem previsão de lançamento, o seriado irá originar uma HQ elaborada pelo artista gráfico catarinense Pedro Franz (Promessas de Amor a Desconhecidos Enquanto Espero o Fim do Mundo), em seu primeiro trabalho não-independente da carreira.

A HQ terá 64 páginas inspiradas nos oito episódios da produção. A arte de Pedro Franz já estampa alguns vagões de trens urbanos do Rio de Janeiro, como parte da campanha de divulgação da série.

A escolha do elenco que interpreta a trama, de acordo com Paulo Lins, foi feita preferencialmente entre não atores. A mineira Erika Januza (que interpreta Conceição, a protagonista) está em seu primeiro papel como atriz. Já a carioca Ana Pérola (que vive a rival de Conceição, Jéssica) é ex-gari e passista de escola de samba.

"A gente quis fazer um subúrbio bem realista, então era mais fácil transformar um suburbano em ator que transformar um ator em suburbano. Soaria muito menos falso", admite Paulo Lins, que lembra que alguns nomes do elenco já atuavam em grupos de teatro independente do Rio de Janeiro.

Os oito episódios de Suburbia serão exibidos semanalmente na TV Globo. Paulo Lins, que acompanhou as gravações, garante: "Saiu melhor que a encomenda".


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.