Cultura

Fundação Casa de José Américo realiza ciclo virtual de debates sobre a cultura paraibana

O ciclo está com as inscrições abertas, sendo feitas através de um formulário on-line.




Fundação Casa de José Américo realiza ciclo virtual de debates sobre a cultura paraibana. Fotos: Rafael Passos/Secom-JP

A Fundação Casa de José Américo realizará, a partir da próxima terça-feira (26), o ciclo de debates ‘História Cultural da Paraíba – Diálogos Presentes’, reunindo debatedores de vários segmentos do universo acadêmico, artístico e cultural. Ao todo serão 16 painéis, sempre às terças e quintas, a partir das 9h30. O encerramento está programado para o dia 16 de julho.

O ciclo já está com as inscrições abertas e podem ser feitas através de um formulário on-line. O evento completo terá carga horária total de 20 horas, com emissão de certificado para quem tiver, pelo menos, 75% de participação.

Por causa do momento de pandemia vivido atualmente, o evento será transmitido pela internet, através do canal oficial da instituição no Youtube.

O primeiro painel será ‘Sivuca e o Ano Cultural 2020’, e acontecerá exatamente no dia em que o artista paraibano completaria 90 anos de idade (26/05). A obra do multi-instrumentista, maestro e compositor itabaianense será discutida pelo regente Carlos Anísio e o músico Adeildo Vieira, com mediação do professor Carmélio Reynaldo.

Na quinta-feira (28), será a vez do painel ‘História da Paraíba: lugares de memória e de cultura’, com as professoras Lúcia Guerra e Irene Rodrigues, também mediado por Carmélio Reynaldo.

A segunda semana começa no dia 2 de junho, com um debate entre Ângelo Pessoa e Damião de Lima: ‘Dimensões materiais e culturais do processo histórico paraibano’. Na quinta (4), o tema será ‘Estrutura política paraibana na Era Vargas’, com Monique Cittadino e Jivago Correia.

No dia 9 de junho, acontecerá o debate ‘A presença indígena na Paraíba: território, cultura e memória’, com Rita de Cássia Santos e Estevão Palitot. No painel seguinte, programado para o dia 11, o tema será ‘A Paraíba e a cultura do Atlântico negro’, a ser debatido por Elio Flores e Danilo Santos. Ambos serão mediados pela professora Lúcia Guerra.

 

A Paraíba e suas artes

 

No dia 16 de junho, o tema será ‘A imprensa na Paraíba e o jornalismo cultural’, com a participação dos jornalistas Rubens Nóbrega e André Cananéa. Na quinta-feira (18), os músicos Milton Dornellas e Xisto Medeiros debatem ‘Música popular na Paraíba: a academia e o projeto Quinteto Convida’.

O dia 23 será dedicado ao teatro, com ‘O Teatro visto a partir da UFPB e a experiência do Coletivo de Teatro Alfenim’, com Paulo Vieira e Paula Coelho. No dia 25, será a vez do cinema, através do debate ‘O Cinema Paraibano antes e pós-pandemia’, com Zezita Matos e João de Lima. Todos terão a mediação de Carmélio Reynaldo.

A sexta semana do ciclo de debates será aberta no dia 30 de junho, com os painéis ‘Saberes e fazeres populares: o artesanato paraibano’, por Marielza Targino e Ângelo Rafael; e, no dia 2 de julho, ‘Saberes e fazeres populares: literatura de cordel e tradição oral’, com Karin Picado e Nelson Barbosa de Araújo. Os dois momentos serão mediados por Lúcia Guerra.

No dia 7 de julho, será a vez de ‘Arte em tempos de pandemia e pesquisa em/sobre artes visuais na Paraíba’, com Chico Pereira, Flávio Tavares e Robson Xavier da Costa, com mediação de Carmélio Reynaldo.

Os últimos painéis serão ‘Literatura: escritores, movimentos e redes de sociabilidade’, no dia 9 de julho, com Linaldo Guedes e Bruno Gaudêncio. No dia 14 acontecerá o debate ‘Experiências com educação patrimonial no Estado da Paraíba’, com Janete Rodriguez e Márcia Albuquerque. No encerramento, programado para o dia 16 de julho, ‘Preservação do Patrimônio Cultural no Estado da Paraíba – nossa caminhada’, com Ana Paula Brito e Átila Tolentino. Esses painéis terão mediação de Lúcia Guerra.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.