Cultura

Fred Svendsen é o criador do estandarte do Picolé de Manga

Com 37 anos de artes plásticas, Fred Svendsen é conhecido pelos traços expressionistas, pelas figuras disformes, mas cheias de sentimentos.




Da assessoria

Com experiência de 37 anos de artes plásticas, artista que já expôs nos maiores centros de arte do país e dono de um traço expressionista peculiar, Fred Svendsen empresta, agora, sua criatividade para colorir e tornar mais belo o carnaval. Ele é o artista responsável pelo estandarte do bloco Picolé de Manga, que comemora 17 anos de existência e desfila, na próxima sexta-feira, animado pela cantora Elba Ramalho.

O convite da diretoria do bloco foi prontamente aceito pelo artista, que eternizou a criatividade num estandarte de 1,50 m por 1,20 m. Sobre um tecido branco cheio de brilho ele pintou uma manga no palito, com as cores, a expressão e alegria do carnaval. “A figura expressionista deve causar impacto”, ressalta o artista. Fred teve uma única experiência com a criação de desenhos para estandarte, foi com o bloco Agitada Gang.

Para a artista o interessante é entrar num outro universo, experimentar e se entregar à cenografia, que não é sua especialidade. “É uma obra de arte ambulante, que caminha. Isso faz o nosso trabalho mais pop. Aproxima das pessoas”, analisa Fred. De acordo com ele, todo artista plástico deveria ter a oportunidade de fazer esse experimento, e os blocos por sua vez precisam reconhecer a importância da obra em todo o conjunto carnavalesco. O caminho, segundo ele, deve ser o da profissionalização como acontece nos maiores carnavais do país. “A gente tem uma arte que agrega valor e a obra de arte, a partir daquele momento, é do bloco.

O artista

Com 37 anos de artes plásticas, Fred Svendsen é conhecido pelos traços expressionistas, pelas figuras disformes, mas cheias de sentimentos. Já expôs na em vários estados brasileiros e em outros países. Recentemente lançou o livro P&B, que tem apresentação do poeta Ferreira Gular.

Ao artista é um dos paraibanos que tem sua obra exposta na mostra “As cores da arte paraibana”, capitaneada por Dona Lili Marinho. A exposição começou em Brasília, atualmente está em João Pessoa e deve ir nos próximos dias para a Casa França-Brasil, no Rio de Janeiro. Em seguida, percorrer o restante do país.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.