Cultura

Evento “Agosto das Letras” reúne Edson Cruz e Vítor Ramil

Vítor Ramil fará show neste sábado. No domingo (29) ele participa de uma mesa sobre adaptação.




Astier Basílio
Do Jornal da Paraíba

O lançamento do livro do poeta Edson Cruz e o show do cantor e escritor Vítor Ramil são os grandes destaques da programação deste sábado (28) do Agosto das Letras. Existe uma resposta para o que seja a poesia? Foi essa pergunta simples que Edson Cruz fez a 45 escritores brasileiros. O resultado, que pode ser visto no livro O que é poesia? é o mais diversificado possível, até porque há representantes de correntes estéticas bem diversas. Desde nomes mais ligados a uma poesia discursiva, como Affonso Romano de Sant’anna, ao lado de autores identificados com outra vertente, como é o caso de Frederico Barbosa.

Vítor Ramil fará show neste sábado. No domingo (29) ele participa de uma mesa sobre adaptação. Nada mais acertado. Em seu último disco, Délibáb alguns poemas, “milongas”, do escritor argentino Jorge Luís Borges se transformaram em belas canções.

Este ano, o festival homenageia três escritores: Antonio Arcela, com integrantes da Oficina Literária, Jomar Muniz de Brito e Geraldo Maciel, este uma homenagem póstuma. Aliás, no domingo, serão apresentadas duas adaptações para o teatro de contos de Maciel. Quem está à frente desse projeto é o professor Carlos Cartaxo. A montagem teatral é um trabalho de extensão da Universidade Federal da Paraíba,  patrocinado pelo BNBCultura/BNDES e apoio dos Companheiros das Américas.

Além das apresentações cênicas, o projeto prevê a publicação de um livro: Geraldeando, que é a publicação seis dos contos de Barreto e suas, respectivas, adaptações para teatro.

O público terá a oportunidade de assistir à encenação de dois contos: “O amor é quase eterno” e “O que posso lhe contar”. O projeto foi desenvolvido em Nova Palmeira, cidade natal de Geraldo Maciel. O objetivo  era o de estimular a leitura entre as pessoas da comunidade e estimular a escrita de ficção e de dramaturgia. “Realizamos oficinas de interpretação teatral e exercitamos a leitura de histórias infantis e o exercício de contar histórias”, explica Cartaxo.  Depois, houve a seleção e adaptação de alguns contos. “Com essa ação demos oportunidade para que jovens adolescentes, estudantes universitários, professoras, moradores da zona rural e líderes comunitários fossem estimulados à fruição artística através da leitura e do teatro”.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.