Cultura

Escritor é nomeado para museu em CG

Escritor Bruno Gaudêncio foi nomeado diretor do Museu Histórico e Geográfico de Campina Grand, substituindo Valter Tavares. 




O escritor e historiador Bruno Gaudêncio é o novo nome da equipe de Marlene Alves em sua gestão à frente da Secretaria de Cultura de Campina Grande. O jovem foi nomeado diretor do Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande para substituir o também historiador e jornalista Valter Tavares, que assume a diretoria do Museu de História e Tecnologia do Algodão.

Em seu primeiro dia de trabalho, ontem, Gaudêncio falou à reportagem sobre o projeto de dar visibilidade ao museu no ano em que a instituição, inaugurada em janeiro de 1983 pelo ex-prefeito Enivaldo Ribeiro, completa 30 anos de fundação.

Segundo ele, o trabalho de aproximação do Museu Histórico com a população será feito a partir das redes sociais e de um diálogo com as escolas públicas e privadas de Campina Grande: "É uma contradição enorme para quem vive em uma cidade ter um museu instalado em um lugar central e não conhecê-lo ou frequentá-lo", lamentou Bruno Gaudêncio.

O Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande está situado na avenida Floriano Peixoto, uma das mais movimentadas da cidade, no prédio onde antes funcionava a Estação Telegráfica (razão da inscrição ‘Telegrapho Nacional’, que ainda pode ser vista em sua fachada).

Além da criação de estratégias para o aumento do número de visitantes, Bruno Gaudêncio afirmou que pretende melhorar a infraestrutura do acervo da instituição, composta por fotos e documentos sobre o desenvolvimento histórico-social de Campina Grande: "O acervo está em uma sala sem os mínimos recursos de climatização e ainda não está digitalizado, o que é importantíssimo para os historiadores que o utilizam".

CAMPANHA
Para melhorar o acervo, Gaudêncio tem a intenção de elaborar uma campanha entre os historiadores para a doação de livros, teses e dissertações, campanha que será veiculada em breve nos perfis recém criados do museu no Twitter e no Facebook.

O historiador está elaborando um relatório sobre as condições do museu e irá encaminhá-lo à Secretaria de Cultura, que tem planos de produzir uma cartilha com o itinerário dos museus de Campina Grande.

"Precisamos criar uma conexão entre os museus e incluí-los nas políticas culturais do governo federal, como o Sistema Brasileiro de Museus e as Redes Educativas", defende o diretor.

Bruno Gaudêncio é formado em Jornalismo e História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e obteve o grau de Mestre em História, pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), com uma dissertação sobre os círculos intelectuais da cidade de Campina Grande entre os anos de 1913 e 1953.

É membro suplente do Conselho Estadual de Cultura, editor da Revista Literária Blecaute e autor dos livros: O Ofício de Engordar Sombras (2009) e Cântico Voraz do Precipício (2011).


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.