Cultura

Documentário sobre ativista abre mostra competitiva do Fest Aruanda 2019

‘Indianara’ é o destaque do segundo dia do festival que acontece em João Pessoa.




Documentário mostra a luta de Indianara por direitos iguais (Foto: Divulgação)

O Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro chega ao segundo dia nesta sexta-feira (29) com a abertura das mostras competitivas. Um dos destaques é o documentário ‘Indianara’, que retrata a vida da ativista transexual que dá nome ao filme e foi exibido no Festival de Cannes este ano. O longa abre a mostra nacional. As exibições acontecem no Cinepólis do Manaíra Shopping, com entrada gratuita, a partir das 18h.

Dirigido por Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa, ‘Indianara’ teve estreia mundial em Cannes e ganhou destaque em veículos como ‘Le Monde’, ‘Libération’, ‘Revista Vogue Portugal’ e ‘L’Humanité’. O longa mostra o dia a dia da luta de Indianara Siqueira para defender direitos das pessoas LGBTI+, da sociedade em geral e também o cotidiano do projeto que conduz, a Casa Nem, um abrigo para pessoas transgêneros em situação de risco. O filme também traz a figura da vereadora Marielle Franco, assassinada em 2028, que era amiga de lutas de Indianara e tem participação importante na história.

‘Indianara’ ganhou o prêmio de Melhor filme do público no Festival Brésil en Mouvement, em Paris, e Melhor filme do júri no Festival de Cerbère (França).

Além de ‘Indianara’, o outro longa que vai ser exibido é o ‘Currais’, de David Aguiar e Sabina Colares. A produção cearense relata a histórias dos campos de concentração no Ceará, em que flagelados da seca de 1932 foram aprisionados em troca de sobrevivência. O filme disputa a Mostra Sob o Céu Nordestino, que tenm apenas longas da região.

Também vão ser exibidos os curtas ‘DNA-M: Deus não acredita em máquinas’, de Ely Marques; e Fim, de Ana Dinniz; na mostra regional; e ‘Nadir’, de Fábio Rogério; ‘Um’, de Daniel Kfouri e João Castellano, ‘ Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim’, de Maria Augusta Nunes.

Debates

Antes das sessões, durante o dia, o Aruanda realiza uma série de debates e oficinas no Hotel Aram Beach & Convention, na orla. Uma das discussões vai ser focada no trabalho de três homenageados da primeira noite do festival: José Bezerra, Marcus Villar e Ingrid Trigueiro. Também vai haver um painel sobre a emergência de políticas públicas de preservação e a criação da Cinemateca Linduarte Noronha nos 100 anos do cinema paraibano.

A programação completa, com todos os horários, pode ser conferida no site do Fest Aruanda.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.