Cultura

Dez músicas 'empoderadas' para ouvir no Dia Internacional da Mulher

Artistas usam suas vozes para defender direitos iguais e o poder das mulheres.




 

A luta por uma sociedade mais igualitária é enfrentada de diferentes formas pelas mulheres. Muitas fazem isso através da música. Pensando nisso, para marcar o Dia Internacional da Mulher, celebrado neste domingo, 8 de março, o JORNAL DA PARAÍBA fez uma lista com 10 músicas que falam de empoderamento feminino e da constante busca por direitos iguais.

A lista é variada de estilos e tem nomes como Elza Soares, Gal Costa, Pitty, Ana Cañas e Sinta A Liga Crew.

Confira a lista

”Maria de Vila Matilde’ – Elza Soares

‘Cadê meu celular?
Eu vou ligar pro 180
Vou entregar teu nome
E explicar meu endereço
Aqui você não entra mais
Eu digo que não te conheço
E jogo água fervendo
Se você se aventurar
Eu solto o cachorro
E, apontando pra você
Eu grito: péguix guix guix guix
Eu quero ver
Você pular, você correr
Na frente dos vizinhos
Cê vai se arrepender de levantar a mão pra mim’

 

‘Dona de Mim’ – Iza

‘Já me perdi tentando me encontrar
Já fui embora querendo nem voltar
Penso duas vezes antes de falar
Porque a vida é louca, mano, a vida é louca

Sempre fiquei quieta, agora vou falar
Se você tem boca, aprende a usar
Sei do meu valor e a cotação é dólar
Porque a vida é louca, mano, a vida é louca’

Triste, Louca ou Má’ – Francisco, El Hombre

‘Só mesmo, rejeita
Bem conhecida receita
Quem não sem dores
Aceita que tudo deve mudar
Que um homem não te define
Sua casa não te define
Sua carne não te define
Você é seu próprio lar’

‘Preta de Quebrada’ – Flora Matos 

‘Faço o Rap bem feito, que é pra não me faltar nada
E eu vou ficar milionária, milionária
Sem nunca depender de um homem pra ter minhas parada
Faço minha caminhada (A consciência não morre)
Sou um exemplo vivo de mulher que não se cala’

‘Respeita’ – Ana Canas

‘Você que pensa que pode dizer o que quiser
Respeita aí, eu sou mulher
Quando a palavra desacata, mata, doí
Fala toda errada que nada constrói
Constrangimento
Em detrimento de todo discernimento quando ela diz
Não mas eu tô vendo, eu tô sabendo
Eu tô sacando o movimento
É covardia no momento
Quando ele levanta a mão’

‘Campo Minado’ – Sinta A Liga Crew

‘Mina girando, mina rimando, mina riscando, mina pintando
O campo está minado pra quem anda vacilando
Cuidado mano, porque eu to te focando
Se eu mirar no preconceito você vai sofrer o dano’

‘Motor’- Gal Costa

‘Não reconheço mais o meu coração
Mas não que ele se recusasse a bater
Nem faço questão de lembrar dos seus desacatos
Nem de outras mulheres que vi com você
Você me sugou e me deixou cansada
E se esconde em palavras de me querer bem
E assim, como o tempo
O motor ao relento
Sinto saudades já não me recordo porquê’

‘Descolonizada’- Larissa Luz

‘Não deixe que a corrida maluca da vida louca
Te jogue num precipício de mansões
Garota ninguém nos disse que seria fácil
Segura a onda, dá na cara e continuar

Não deixe que tentem te colonizar
Te converter
Te doutrinar
Te alienar
Eu quero voar
Escrever meu enredo
Liberdade é não ter medo’

 

‘Desconstruindo Amélia’ – Pitty

‘Disfarça e segue em frente
Todo dia até cansar (Uhu!)
E eis que de repente ela resolve então mudar
Vira a mesa, assume o jogo
Faz questão de se cuidar (Uhu!)
Nem serva, nem objeto
Já não quer ser o outro
Hoje ela é um também’

‘Deus há de ser’ – Elza

‘Deus é mulher
Deus há de ser
Deus há de entender
Deus há de querer
Que tudo vá para melhor
Se for mulher, Deus há de ser’

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.