Cultura

Cidadania na Sétima Arte

7ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, começa nesta terça-feira (13) em João Pessoa.



Divulgação
Divulgação
Mostra é gratuita e as exibições acontecem na Usina Cultural Energisa

A arte usada como instrumento de acesso à cidadania. Essa é a proposta da 7ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que estará percorrendo as 27 capitais brasileiras entre os meses de novembro e dezembro, chegando a João Pessoa nesta terça-feira. Até domingo serão exibidos gratuitamente 37 filmes, entre curtas e longas-metragens, na Sala Vladimir Carvalho da Usina Cultural Energisa.

A Fábrica, do cineasta baiano Aly Muritiba, estará na sessão que abre o evento na noite de hoje, às 20h. O filme que conta a história de um presidiário que convence a mãe a levar um aparelho celular para dentro da penitenciária participou de vários festivais no Brasil e no exterior. O curta, que tem o roteiro também assinado por Muritiba, foi lançado no ano passado e desde então vem colecionando dezenas de prêmios.

Na sessão de hoje também serão exibidos outros três curtas brasileiros: A Galinha que Burlou o Sistema, de Quico Meirelles, um híbrido de documentário com ficção; O Cadeado, de Leon Sampaio, que mostra a relação entre um professor e seus alunos portadores de deficiência; e a ficção Menino do Cinco, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira.

Além dos filmes nacionais, também participam desta edição da mostra produções do Uruguai, Colômbia, Equador, Argentina, Chile, Venezuela e Bolívia. Todos os selecionados abordam temáticas que proporcionem uma reflexão acerca dos direitos fundamentais do ser humano, sua prática e inadequações, no continente sul-americano.

Dos internacionais, destaca-se o colombiano Chocó, inédito no Brasil. A obra do diretor Johnny Hendrix Hinestroza mostra os problemas do desemprego, do desalojamento e da violência doméstica. Do Uruguai, chega às capitais brasileiras através da mostra A Demora, indicado oficial pelo país ao Oscar de Filme Estrangeiro. O longa-metragem de Rodrigo Plá tem como protagonista uma mulher, de família pobre, que não consegue internar seu idoso pai em um asilo e acaba tomando uma atitude drástica.

HOMENAGEM
A 7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul homenageia neste ano o cineasta brasileiro Eduardo Coutinho, considerado atualmente um dos maiores expoentes do gênero documentário no mundo. Coutinho é reconhecido pelo estilo participativo nos seus filmes, nos quais ele geralmente participa não apenas como diretor, mas como figura protagonista provocadora de debates. De sua filmografia, o público poderá conferir na mostra Cabra Marcado para Morrer, O Fio da Memória e Santo Forte.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.