Cultura

As cicatrizes dos pampas

A epopeia de duas famílias que viveram em confronto durante 150 anos e a formação do Rio Grande do Sul na visão literária de Erico Verissimo (1905-1975) ganha uma minissérie em três partes que será veiculada pela Rede Globo a partir da próxima quarta-feira. A adaptação cinematográfica de O Tempo e o Vento estreou no […]




A epopeia de duas famílias que viveram em confronto durante 150 anos e a formação do Rio Grande do Sul na visão literária de Erico Verissimo (1905-1975) ganha uma minissérie em três partes que será veiculada pela Rede Globo a partir da próxima quarta-feira.

A adaptação cinematográfica de O Tempo e o Vento estreou no circuito comercial em setembro e agora ganha inserção de cenas inéditas e novos personagens, além de uma nova edição para a versão televisiva, a exemplo de produções como Xingú (2011), de Cao Hamburger, e Gonzaga – De Pai pra Filho (2012), de Breno Silveira.

Sob a direção de Jayme Monjardim (Olga), a série é baseada nos romances O Continente (publicado originalmente em 1949), O Retrato (1951) e O Arquipélago (1961), que abrangem desde a ocupação do ‘Continente de São Pedro’ (1745) até o fim do Estado Novo (1945), através da saga das famílias Terra e Cambará.

Para a nova versão, o olhar de Bibiana Terra Cambará (vivida por Fernanda Montenegro) é o fio condutor da narrativa: em meio ao cerco do casarão de sua família pelos Amarais, ela se vale de sua memória para contar sua história e as de seus antepassados, desde a trajetória da sua avó Ana Terra (interpretada por Cléo Pires), passando pelo seu romance com o capitão Rodrigo Cambará (o galã Thiago Lacerda). Nas reminiscências, a personagem Bibiana ganha corpo na figura da atriz Marjorie Estiano.

Santa Fé é a cidade fictícia onde se passa a história central. O local recebeu sua pedra fundamental através do imponente Coronel Ricardo Amaral (encarnado por José de Abreu), que é quem acolhe a Ana Terra. Ela reconstrói sua vida ao lado do filho pequeno (Eduardo Correa) após perder a família e suas terras em um ataque dos castelhanos.

O elenco ainda conta com o paraibano Luiz Carlos Vasconcelos como Maneco Terra, Igor Rickli como Bolívar Terra Cambará e Rafael Cardoso como Florêncio Terra, além de Mayana Moura e Agnaldo Silva como os forasteiros Luzia e Carlos Cunha Filho.

A SAGA TELEVISIVA
Na história da TV brasileira, O Tempo e o Vento de Verissimo ganhou sua primeira versão apenas seis anos após a publicação da sua última parte, O Arquipélago, na novela homônima produzida pela extinta TV Excelsior e apresentada no horário nobre. Com adaptação de Teixeira Filho e direção de Dionísio de Azevedo, o projeto foi dividido em três partes: A Fonte, Ana Terra (cada um com 30 capítulos), e Capitão Rodrigo (com 150 capítulos).

Em 1985, Doc Comparato – roteirista de séries televisivas como Lampião e Maria Bonita (1982) – adaptou O Continente na forma de uma minissérie em quatro partes da Rede Globo sob o comando do gaúcho Paulo José.

Nesta versão, Glória Pires interpretava Ana Terra, Tarcísio Meira e Louise Cardoso faziam par romântico como Rodrigo Cambará e Bibiana. O elenco contava ainda com Lima Duarte, Lilian Lemmertz, Daniel Dantas, Carla Camuratti e José Lewgoy, entre outros.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.