Cultura

Jornal da Paraíba 48 anos: A notícia continua nas suas mãos, se antes era no papel, agora é no celular

Veículo migrou para digital em 2016 e maior parte dos acessos vem de celulares.




Jornal está exclusivamente na internet há três anos e meio (Foto: Aline Oliveira)

5 de setembro de 1971. Foi neste dia que o JORNAL DA PARAÍBA circulou pela primeira vez. São 48 anos prezando por um jornalismo ético e de credibilidade. Nascido em um mundo analógico, o jornal acompanhou de perto a evolução para o digital e se adaptou para continuar oferecendo o melhor conteúdo aos leitores. A notícia continua nas suas mãos, mas se lá atrás ela estava no papel, agora ela se encontra no celular.

Quando a primeira edição do JORNAL DA PARAÍBA chegou às mãos dos leitores, há 48 anos, além de um novo periódico para a região da Campina Grande, se estabelecia ali também o marco inicial da Rede Paraíba de Comunicação, que em alguns anos viria a se tornar o maior grupo de comunicação do estado.

Há mais de três anos, em abril de 2016, o jornal deixou o papel e migrou totalmente para a internet, se consolidando em uma plataforma que já era utilizada pelo veículo. Mas essa mudança não ocorreu da noite para o dia, muito pelo contrário, foi resultado de uma revolução tecnológica que foi contada nas páginas do veículo.

O jornal viu, por exemplo, a fundação da Telebras, estatal criada, em 1972, pelo presidente Garrastazu Médici para cuidar da telefonia e que tinha a Telpa como subsidiária no estado. Mais de 20 anos depois, em 1998, foi testemunha da privatização desse serviço, no governo de Fernando Henrique Cardoso, da ampliação da telefonia fixa e também do boom dos celulares e dos smartphones, junto com a ampliação do serviço de internet, na atualidade. Mas por que destacar tanto a situação da telefonia aqui? Porque são exatamente os telefones móveis os maiores ‘aliados’ do JORNAL DA PARAÍBA na atualidade.

De janeiro a agosto de 2019, quase 73% dos leitores do jornal ficaram informados acessando o portal pelo smartphone. “Para nós, como os produtores do conteúdo do Jornal da Paraíba, o fato do nosso leitor consumir notícia na palma da mão é desafiador. Isso exige o mesmo compromisso com a qualidade da nossa reportagem, que é uma marca que já chega a 48 anos no Jornal, mas também um olhar atento a esses novos comportamentos digitais”, afirma a editora do jornal, a jornalista Aline Oliveira.

Mundo ao alcance do celular

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 97% da população acima de 10 anos utilizam internet no celular. Já a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) mostra que 98,7% dos paraibanos têm acesso aos telefones móveis, um número muito superior aos atuais registros de telefonia fixa, pois apenas 19,3 % dos domicílios do estado contam com esse tipo de comunicação.

Os números alcançados pelo JORNAL DA PARAÍBA são um retrato de uma sociedade hiperconectada, que faz questão de estar informada a todo tempo. E o veículo quer estar alinhado aos desejos e ao comportamento dos leitores. “Precisamos ser ágeis, exatos e cuidadosos para que a notícia chegue ao nosso leitor de forma rápida e prática, mas também de confiança”, completa Aline Oliveira.

Se em 48 anos muita coisa mudou, o compromisso do jornal segue o mesmo de quando ainda estava no papel.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.