Concursos

Especialista comenta edital de concurso da Polícia Federal com 1,5 mil vagas e salários de até R$ 23 mil

Provas estão marcadas para março. Expectativa de nomeação é 2022.




Com um total de 1.500 vagas, foi publicado na sexta-feira (15) o edital do concurso da Polícia Federal. De acordo com o professor e especialista em concursos, Erik Anderson, embora se trate de um típico concurso para candidatos que já têm experiência em seleção ou que já dominam pelo menos algumas disciplinas, aqueles que vão começar a estudar agora para o certame devem procurar provas anteriores do Cebraspe – organizadora do concurso – para ter uma noção de como os conteúdos são cobrados e organizar um cronograma intensivo de estudos e resolução de questões. Os salários iniciais variam de R$ 12 mil a R$ 23 mil.

As provas estão marcadas para ocorrer a pouco mais de dois meses, em 21 de março, em todas as capitais. “Quando a gente pensa em concurso, é natural focarmos nossa atenção para a prova objetiva. Porém, na PF temos várias etapas e fases que são eliminatórias. Então, não basta passar nas provas objetiva e discursiva. Há outras fases decisivas para todos os cargos: exame de aptidão física e avaliação médica. Além disso, há etapas específicas que podem eliminar o candidato, como prova oral (para delegado) e prova prática de digitação (para escrivão). Após isso, há ainda o exame de avaliação psicológica, para, em seguida, os aprovados serem habilitados para o curso de formação, de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, durante o qual ainda há possibilidade de eliminação, por exemplo, na segunda avaliação psicológica”, comenta o professor.

Segundo ele, como se trata de um concurso com várias fases e prazos para recursos, há previsão de que em setembro seja concluída a primeira avaliação psicológica, que é o último passo antes do curso de formação, que tem carga horária de 850h e dura aproximadamente cinco meses. Só será nomeado o candidato que concluir com êxito o curso de formação. Por isso, a nomeação deverá ocorrer em 2022.

Em relação ao conteúdo cobrado nas provas, Erik Anderson destaca que o cargo de delegado tem um conteúdo bastante extenso, com muitas disciplinas de diferentes áreas do Direito, como Civil, Penal, Empresarial, Previdenciário, Administrativo e Tributário. Já os demais cargos possuem várias disciplinas em comum, que são tradicionais em concurso: Português, Raciocínio Lógico, Informática, Direito Administrativo, Direito Constitucional.

É bom destacar que, como se trata de órgão de segurança pública, caem também tópicos de Direito Penal, Processo Penal e a Legislação Penal Especial. Outra particularidade desse concurso é a presença de disciplinas não muito frequentes em certames, tais como Contabilidade Geral e Estatística, o que torna a prova ainda mais desafiadora”, afirma.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.