Brasil

Obras da Transnordestina vão deslanchar no segundo semestre

Eduardo Campos (Pernambuco) exime os governos da culpa pelo atraso e diz que o ritmo de construção dos 1,7 mil km previstos para a ferrovia será acelerado no próximo mês.




Da Agência Brasil

“A Ferrovia Transnordestina é a obra inacabada mais velha do Brasil”, criticou o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, após o 8º Fórum de Governadores do Nordeste, realizado em Teresina, no Piauí. “Ela data do Império”, completou. Ele ressaltou, no entanto, que o histórico atraso da Transnordestina não pode ser colocado na conta dos governos, apesar da obra fazer parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC).

“Essa é uma obra privada, é importante que isso fique claro. É uma obra do PAC que não é de nenhum governo estadual e nem federal. O governo federal está entrando com recursos de financiamentos”, explicou Campos, Ele acredita que, a partir do próximo mês, haverá um ritmo maior para a construção dos 1,7 mil quilômetros previstos no projeto.

A Transnordestina vai ligar o interior do Nordeste aos portos de Pecém (CE) e Suape (PE). Até agora, somente o trecho de 96 quilômetros entre os municípios de Salgueiro, em Pernambuco, e Missão Velha, no Ceará, está recebendo as obras de terraplanagem para a colocação de trilhos.

De acordo com o governador, muitos licenciamentos não foram concedidos porque, para muitos trechos, sequer existia o projeto executivo.

“Houve o licenciamento para a obra de Salgueiro a Missão Velha, que são esses 96 quilômetros. O Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) recebeu o projeto de Salgueiro até a fronteira com o Piauí e já concedeu o licenciamento. A construção deve se iniciar na segunda quinzena de agosto. Já estamos analisando os outros trechos da fronteira do Piauí, até Eliseu Martins, e, de Salgueiro a Suape, e, de Missão Velha até o Porto de Pecém. O projeto executivo desses trechos foram entregues agora pela empresa que comprou essa ferrovia, ainda no ano de 1997e não tinha feito o projeto executivo”, reclamou o governador.

“É bom ficar claro o que é de responsabilidade do poder público e o que é de responsabilidade da iniciativa privada”, completou.

A empresa responsável pela construção da ferrovia é a Transnordestina Logística, que até maio chamava-se Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN). A principal acionista da concessionária é a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Com os licenciamentos concedidos, Campos avaliou que as obras devem deslanchar. “Os estados estão assumindo as responsabilidades de desapropriação, licenciamento e tudo mais, os recursos estão garantidos e a Transnordestina é uma obra de logística fundamental para o movimento de integração de nossa região”, disse o governador pernambucano.

A ordem para o início da construção da ferrovia no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi dada há dois anos e a previsão é de que ela esteja pronta em 2010.

O investimento previsto para a ferrovia é de R$ 4,5 bilhões, R$ 300 milhões da concessionária da obra e o restante de financiamentos no Fundo de Desenvolvimento do Nordeste e do Fundo de Investimentos do Nordeste (R$ 3,5 bilhões).

Outros R$ 400 milhões virão de empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de R$ 250 milhões de novos sócios.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.