Brasil

Nayara diz à polícia que não houve tiro antes da invasão

Ela prestou depoimento nesta quarta em hospital de Santo André. Jovem foi mantida refém junto com amiga por Lindemberg Alves.




Do G1

A jovem Nayara Silva, de 15 anos, declarou à polícia nesta quarta-feira (22) que não houve um tiro no apartamento onde era mantida refém por Lindemberg Alves, de 22 anos, minutos antes da invasão do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), de acordo com o delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos. O seqüestro acabou com a morte de Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, ex-namorada de Lindemberg.

Durante entrevista concedida na sexta-feira (17), ainda no conjunto residencial onde o seqüestrador manteve as jovens reféns, o comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar de São Paulo, coronel Eduardo José Félix, disse que a polícia só invadiu o local após ter ouvido um tiro.

A jovem relatou que Lindemberg fez um disparo em direção ao teto entre 15h e 16h de sexta, em “um momento de nervosismo”, ainda segundo o delegado. Depois da invasão, ela se recorda de dois tiros, mas não relatou nenhum outro ocorrido instantes da ação policial. "Hoje, a Nayara afirmou taxativamente que não houve esse tiro", disse o delegado seccional. Nayara prestou depoimento nesta quarta-feira no Centro Hospitalar de Santo André, no ABC, após receber alta.

O coronel Eliseu Leite de Moraes, da Polícia Militar, disse que todas as circunstâncias da invasão serão apuradas. “Isso [o tiro] por si só não é o fator primordial. O que determina uma invasão é um risco insuportável e uma possibilidade de sucesso. A finalidade do IPM (inquérito policial militar) é trazer a verdade e nós também queremos saber o que exatamente aconteceu”, afirmou.

Nayara foi ouvida pelo delegado responsável pelo caso, Sérgio Luditza, e pelo promotor Antonio Nobre Folgado. Psicólogos, integrantes do Conselho Tutelar, a mãe da jovem e o advogado contratado pela família, Ângelo Carbone, acompanharam o depoimento.

Alta hospitalar

A jovem recebeu alta às 14h30 desta quarta, mas seguiu no local para prestar depoimento à polícia. Nayara passou por uma cirurgia na manhã desta quarta e, segundo os médicos, está bem e não deve ter seqüelas.

De acordo com o secretário Municipal de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno, ela foi submetida a avaliações nas áreas de psicologia, ortopedia, fonoaudiologia, nutrição, psiquiatria e clínica médica. Todos os profissionais decidiram pela alta.

A primeira preocupação da garota, quando acabou a cirurgia, foi agradecer à equipe médica. "Ela tem um sentimento de agradecimento. As primeiras palavras para todos da equipe do hospital foram ‘muito obrigada’", disse o cirurgião-dentista Geraldo Prestes de Camargo Filho, que participou da cirurgia. "A gente tenta dar um apoio pessoal, brinca com ela para distraí-la", acrescentou.

Na cirurgia, os médicos substituíram um aparelho de contenção provisória que havia sido colocado na boca da paciente na sexta-feira (17) por um aparelho ortodôntico que vai permitir que ela continue o tratamento em casa. "O procedimento foi feito com sedação e anestesia local. Além do aparelho, fixado nos dentes, foi adaptado um dente provisório no aparelho, para ter a função estética devolvida, no lugar do canino superior esquerdo [que foi atingido pela bala]", explicou o cirurgião-dentista.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.