Brasil

Médicos retiram mais quatro agulhas de menino de dois anos

Objetos estavam no pescoço e canal medular. Cirurgia correu bem e garoto está em recuperação, segundo hospital.




Médicos retiram mais quatro agulhas de menino de dois anos
Radiografia aponta localização de agulhas espetadas em menino

Do G1

Terminou por volta das 21h (horário de Brasília) desta segunda-feira (28), a terceira cirurgia pela qual passou o menino de 2 anos que está internado em um hospital de Salvador com agulhas pelo corpo. Segundo a assessoria do Hospital Ana Neri, onde o garoto está internado, foram retiradas quatro agulhas: três que estavam no pescoço e outra no canal medular.

Correu tudo bem durante a cirurgia e o garoto está em recuperação na UTI, informou ainda a assessoria. O procedimento teve duração de quatro horas, com início por volta das 17h (horário de Brasília).

"A cirurgia vascular foi feita com muita tranquilidade. A cirurgia neurológica também. Acreditamos que essa criança vai ter um final feliz", disse o médico José Siqueira.

De acordo com o hospital, restam agulhas no corpo do menino mas em locais que não oferecem risco de morte. Ainda segundo a assessoria de imprensa, ele passará por outros procedimentos mais simples para retirá-las. Novos exames serão feitos em alguns dias para confirmar exatamente quantos objetos ainda restam e onde estão alojados. Em princípio, o garoto tinha 31 agulhas no corpo e foram retiradas 22.

Internação

O menino já passou por duas cirurgias para a retirada de objetos do fígado, intestino, bexiga, coração e pulmão. Na sexta-feira (26), ele havia conseguido caminhar com a ajuda de fisioterapeutas do hospital.

Transferência

O garoto foi levado a uma unidade de saúde de Ibotirama (BA) depois de reclamar de dores na barriga. Um exame mostrou que ele tinha várias agulhas espalhadas pelo corpo. A vítima foi internada em Barreiras (BA) e, depois, transferida para Salvador.

Segundo a polícia, o padrasto do menino confessou o crime. Ele disse à polícia que teve ajuda de duas mulheres. O homem teria afirmado que enfiava as agulhas no corpo do menino como parte de um ritual religioso.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.