Brasil

Governo exonera mais três diretores do Dnit; demitidos chegam a 24

Saíram o diretor executivo e os de infraestrutura ferroviária e aquaviária. Crise começou com denúncias de corrupção e de superfaturamento.




Do G1

A exoneração de mais três diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) foram oficializadas nesta terça-feira (2) no Diário Oficial da União. Foram demitidos, a pedido, José Henrique Coelho Sadok de Sá, do cargo de Diretor Executivo, Geraldo Lourenço de Souza Neto, do cargo de Diretor de Infraestrutura Ferroviária, e Herbert Drummond, do cargo de Diretor de Infraestrutura Aquaviária.

Desde o começo de julho, quando teve início a crise no Ministério dos Transportes, 24 servidores que ocupavam cargos estratégicos foram demitidos ou afastados no ministério. A saída de Sadok de Sá, que estava afastado, e de Geraldo Lourenço já haviam sido anunciadas.

Sadok Sá foi afastado no dia 15 de julho após o jornal ”Estado de S.Paulo” publicar que a construtora da mulher de Sadok teria faturado R$ 18 milhões para fazer obras em rodovias federais entre 2006 e 2011, vinculadas a convênios com o órgão.

Já Geraldo Lourenço de Souza Neto entregou pedido de exoneração ao ministro Paulo Sérgio Passos nesta quarta-feira (27). Ele estava acumulando também a diretoria de Administração e Finanças, que estava sem diretor desde antes da crise que atingiu o Ministério dos Transportes.

Crise no ministério

As mudanças nos quadros da pasta começaram após reportagem da revista "Veja", publicada no início de julho, relatar que representantes do PR, partido ao qual pertencem o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento e a maior parte da cúpula do ministério, funcionários da pasta e de órgãos vinculados teriam montado um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina por meio de empreiteiras.

No dia 6 de julho, Nascimento pediu demissão, pressionado por suspeitas de que seu filho tenha enriquecido ilicitamente, favorecido pela presença do pai no ministério. Ao assumir o posto, no dia 12 de julho, o novo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, afirmou que faria “ajustes” que envolveriam troca de pessoas e modificações em processos da pasta. Confira matéria completa no G1


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.