Vida Urbana

Volta dos cobradores pode elevar tarifa de ônibus para R$ 3,72 em Campina Grande

Empresas pedem reunião para revisar tarifa que hoje é de R$ 3,30. STTP diz que popular não pode pagar.




Félix Neto, diretores da STTP e usuários de ônibus prestigiaram a apresentação da Banda do Exército, no projeto de Humanização da Integração

O Sitrans, que reúne as empresas de transporte público de passageiros por ônibus de Campina Grande, encaminhou pedido para que seja revista a tarifa de transporte coletivo que hoje está fixada em R$ 3,30. A solicitação foi enviada à Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STTP ) após a Justiça do Trabalho decidir que os motoristas de ônibus não podem receber dinheiro da tarifa. A ação foi impetrada pelo Ministério Público do Trabalho que defende a volta dos cobradores.

O superintendente da STTP, Félix Araújo Neto, disse que a volta dos cobradores implicaria no aumento de R$ 0,42 na tarifa, elevando neste caso o valor para R$ 3,72. O reajuste representaria 12,7%. Todavia, o dirigente pondera que os usuários do sistema não podem arcar com o reajuste.

“Esse é o problema. O papel, o cuidado que a STTP está tendo é que não haja a transferência de custos para a população. Se fosse hoje, por exemplo, para ter de volta os cobradores de ônibus o preço disso é 0,42,00 na tarifa de ônibus. A população não pode pagar esse preço. A gente quer encontrar uma fórmula, através de instrumentos tecnológicos, para solucionar tudo isso”, comentou Félix Neto, que vai conversar com o Ministério Público do Trabalho e empresas de ônibus para chegar a um consenso.

Reunião

O Conselho Municipal de Transporte Público vai se reunir até o dia 20 deste mês para decidir sobre o valor da nova tarifa de ônibus em Campina Grande.

“Recebemos uma solicitação do Sitrans já pedindo a revisão do preço da passagem de ônibus. Possivelmente a reunião seja na próxima semana, na quarta-feira (19) ou na quinta-feira (20). A nossa obrigação é de convocar o Conselho e aguardar a decisão”, explica Félix Neto.

As declarações foram dadas, em entrevista, no Terminal de Integração de ônibus, na noite desta terça-feira (11). Na ocasião, ele assistiu à apresentação da Banda do Exército (31º BIMtz), dentro do projeto Humanização da Integração.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.